O triunfo dos Dead Combo no Vodafone Paredes de Coura


O triunfo dos Dead Combo no Vodafone Paredes de Coura

Apesar da doença de Pedro Gonçalves, os Dead Combo mostraram uma energia incrível e uma ótima conexão com o imenso público presente.

A banda alfacinha abriu as festividades com "Deus Me Dê Grana" que acordou de imediato o público desejoso de ouvir rock do bom. Com temas como "The Egyptian Magician", "Cuba 1979" e "Esse Olhar Que Era Só Teu", os Dead Combo revelaram a capacidade única que tem de juntar diferentes estilos musicais, unindo o rock ao tradicional fado e com boas guitarradas que fazem lembrar Carlos Paredes.

Em seguida, Tó Trips convidou Mark Lanegan a juntar-se aos portugueses em palco. Lanegan cantou 3 músicas que trouxeram a multidão em Coura aos seus pés, sendo o momento alto da combinação o poema de Fernando Pessoa "I Know, I Alone". Com a saída do norte-americano de cena, os Dead Combo reiniciaram com "Desassossego", mais uma música inspirada no poeta. Já no final, e depois de quase 90 minutos, tocaram "Lisboa Mulata" para gáudio dos presentes.

Os Dead Combo são algo de único em Portugal. Ao mesmo tempo incrivelmente portugueses e incrivelmente metropolitanos, deram provas do que sabem em Paredes.

Equipa Noite e Música Magazine no Vodafone Paredes de Coura
Fotografia: Óscar Fernandes
Textos: Xavier Gonçalves
Edição: Nelson Tiago