New Order no Vodafone Paredes de Coura: os rapazes da velha guarda mostram como se faz


New Order no Vodafone Paredes de Coura: os rapazes da velha guarda mostram como se faz

Os senhores de Manchester aqueceram os corações ao frio na noite do segundo dia do Vodafone Paredes de Coura. Trouxeram na mala um alinhamento que levou o público a viajar pelos grandes clássicos mostrando que a banda está de boa saúde e recomenda-se.

Sob o negrume da noite e imagens no mínimo desconcertantes no grande ecrã, os cinco senhores ingleses iniciaram com "Singularity" do Music Complete (2015) progredindo para "Restless" também do mesmo álbum.

A banda histórica de Manchester recriada após o suicídio de Ian Curtis e consequente fim dos Joy Division não escondem as suas origens e muito menos viram costas ao passado. Prova disso foi a escolha da "She's Lost Control", icónica canção de uma das bandas que melhor retrataram a tristeza nos anos 70 e 80. Bernard Summer, o atual vocalista, não é Ian Curtis nem canta com o mesmo sofrimento. Sustenta bem a intenção da canção, ainda que emprestando-lhe uma versão menos angustiada. Este que foi o primeiro momento de Joy Division, entre outros, foi acompanhado por um leque de projeções simbológicas da banda. Seguiu-se também "Transmission" ainda neste álbum de recordações.

A transição para a eletrónica que tornou os New Order realmente "new" tomou conta do restante espetáculo. Eles já não são Joy Division e fazem questão de afirmar o valor que têm enquanto precursores do synth-pop com batidas muito dance alternativas que conferem aos britânicos um toque criativo pessoal, através de "Your Silent Face" de Power Corruption and Lies (1983).

"What an audience!" não se cansou de repetir Bernard Summer. Grandes bandas revelam grandes públicos, hoje não foi exceção. Não foi só a "velha guarda", contemporânea da criação dos Joy Division e New Order, que respondeu aos encantos do grupo. A juventude mostrou que também aprecia a maestria criativa dos senhores de Manchester.

Pelo meio houve ainda tempo para dar os parabéns a um fã sul-coreano que fazia anos nesse dia, assim como presentear outro jovem admirador que pedia uma das baquetas no meio da multidão.

Posteriormente, ainda na onda eletrónica veio "Tutti-Frutti" de Music Complete (2015) para destemidamente chegarmos depois a "Bizarre Love Triangle" de Brotherhood (1986) a fazer relembrar o que foram os primórdios dos New Order na década de 80.

Os New Order viraram a página do seu passado punk-rock e seguem um rumo saudável e original dentro do género tão vasto da música dance  e eletrónica. Ainda assim, neste espetáculo oscilaram entre vários registos, sem esquecer os clássicos, inclusive "Blue Monday" e "Temptation" que fecharam o espetáculo.

A experiência dos New Order nunca poderia deixar passar esta oportunidade de novamente prestarem tributo a Ian Curtis e Joy Division. Mestres do encore,  soaram  "Atmosphere" e por fim em êxtase "Love Will Tear Us Apart", com o anfiteatro courense a entoar este hino, em uníssono, num momento que de certeza irá ficar na memória de quem teve esta possibilidade única de vivenciar o que foram Joy Division e o que são New Order.

Equipa Noite e Música Magazine no Vodafone Paredes de Coura
Fotografia: Júlia Oliveira
Textos: Gonçalo Neves
Edição: Nelson Tiago