Idles no NOS Alive: Punk Rock is not dead


Idles no NOS Alive: Punk Rock is not dead

Depois de deliciarem público e crítica no concerto que deram no passado mês de novembro, os britânicos Idles voltaram a dar um grande concerto, com certeza o mais intenso deste NOS Alive. Sem acreditarmos que fosse possível, a banda punk rock de Bristol, conseguiu ainda extravasar mais intensidade e aproximar-se dos anos 70, em que bandas como os Sex Pistols davam cartas.

O vocalista Joe Talbot não pára em palco, dispara em todas as direções com um discurso interventivo, tocando em causas como o nacionalismo, a imigração ou a desigualdade de classes.

"Heel/Heal" abre com toda a intensidade, para logo vir a dedicatória de "Mother". Depois de "I'm Scum" e uma "Love Song" bem "suja", "1049 Gotho" é cantada no chão do palco.

O álbum Joy as an Act of Resistance vai sendo passado a pente fino e ouvimos "Danny Nedelko" ou "Television" com direito a crowd surfing do guitarrista Mark Bowen. Do primeiro álbum Brutalism, "Exeter" é entrecortada por "Nothing Compares" de Sinead O’Connor e o final demolidor vem com "Samaritans" (com voz de Mark Bowen), "Never Fight a Man with a Perm" e "Rottweiler".

Demolidores, os Idles vão varrendo palcos um pouco por toda a Europa e, em Portugal, deveremos voltar a vê-los em breve.

Equipa Noite e Música Magazine no NOS Alive
Fotografia: Júlia Oliveira
Textos: Miguel Lopes
Edição: Nelson Tiago