A banda sensação da música eletrónica do momento atuou no Vodafone Paredes de Coura, mas os The Blaze deixaram esperanças de melhoria no futuro


A banda sensação da música eletrónica do momento atuou no Vodafone Paredes de Coura, mas os The Blaze deixaram esperanças de melhoria no futuro

Os The Blaze são uma verdadeira banda sensação. Praticamente desconhecidos em 2017, neste ano já estiveram em Coachella, em Leeds/Reading e na versão espanhola do Primavera Sound. Com estes festivais de renome e com a sua importância a aumentar de dia para dia, o duo francês estreia-se em Portugal em Paredes de Coura, para gáudio dos presentes.

Ao contrário dos anteriores King Gizzard, isto não é música para fazer moche. É um estilo imensamente mais chill-out, de uma banda ao vivo que ficou conhecida pela imensa qualidade dos seus vídeos. Como tal, o público aproveitou esta atuação para fazer mesmo isso: chillar. A música eletrónica claramente inspirada em bandas como Daft Punk e Justice, bastante mais instrumental do que o esperado, é um fecho interessante para as festividades do Palco Vodafone, estando provavelmente mais em casa noutro contexto.

Um concerto interessante, mas que não revela totalmente a qualidade dos The Blaze. Provavelmente estivessem mais adequados ao Palco After-Hours do que a fechar o maior palco do festival minhoto. Não foi um mau espetáculo de nenhuma maneira, mas deixa a sensação que podem conseguir ainda mais.

Equipa Noite e Música Magazine no Vodafone Paredes de Coura
Fotografia: Óscar Fernandes
Textos: Xavier Gonçalves
Edição: Nelson Tiago