Rock in Rio Lisboa: reportagem do 3º dia, com Linkin Park e Queens of the Stone Age


Rock in Rio Lisboa: reportagem do 3º dia, com Linkin Park e Queens of the Stone Age

Linkin Park e Queens of the Stone Age para 68 mil pessoas (números oficiais).  Steve Aoki descarregou decibéis no Palco Mundo.

Dia três da 6ª edição do Rock in Rio Lisboa, onde foram chamados os Capital Inicial, Queens of the Stone Age, Linkin Park e Steve Aoki para dar vida ao palco mundo.

Diretamente da capital do Brasil, para a capital de Portugal chegam os Capital Inicial, para mostrar o seu rock brasileiro. Entram com "O Bem, o Mal e o Indiferente" o tema que abre também o seu ultimo trabalho de originais (Neptuno). Várias bandeiras brasileiras foram exibidas durante o espetáculo do lado do publico que se encontrava atento e cumpria cada instrução dada por Dinho Ouro Preto (vocalista da banda). "A gente tem tantos anos de estrada e estamos pela primeira vez em Portugal" conta Dinho de forma emotivo, no momento antes da visita ao "Cristo Redentor". O concerto prosseguiu com a apresentação de "Primeiros Erros"; tema regravado pelo Tim (dos Xutos e Pontapés), com a entrada de um polvo gigante em palco enquanto "Should I Stay Or Should I Go" dos The Clash despertava o público, abrindo alas à apresentação de vários temas dos Legião Urbana. Felizes e contentes, os Legião Urbana abandonam o palco com o objetivo desta viagem mais que cumprido.

No Palco Vodafone o destaque vai para os Blood Orange que entraram em palco pelas 20 horas cheios de garra. Apresentam essencialmente o último trabalho; Cupid Deluxe, com uma sonoridade que rodopia entre os anos 70 e 80. Encheram uma das colinas do parque com o soul único e inconfundível de Devonté Hynes. Apesar de pouca afluência pintou-se um belo momento misturado com o pôr-do-sol.

No parque da bela vista comentava-se que os Queens of the Stone Age davam concertos muito bons mas que a nível musical não tinham grandes semelhanças com os cabeça de cartaz. Josh Homme entra em palco com as suas botas de cowboy pronto para meter todos a mexer. O pontapé de partida foi ao ritmo de "Millionaire" que captou a atenção do público que pensava que ia aproveitar a hora para jantar. Rapidamente a temperatura começou a subir e conseguiram agarrar a plateia com o seu rock incandescente. A partir de "Little Sister" Josh e a sua trupe mostraram que são capazes de dar um espetáculo brilhante e que conseguem cativar qualquer um com os riffs vibrantes e a energia que ecoa nos quatro cantos da bela vista. "No One Knows" e "Dead" remataram mais um bem sucedido concerto dos QOTSA em território português.

Alguns minutos após a hora prevista e depois do fogo de artifício que tem sido habitual em todos os dias deste Rock in Rio são recebidos com um gigante aplauso os Linkin Park. Na bagagem trazem um misto de estilos musicais pelos quais já passaram e prometem alguns temas novos do novo trabalho a ser editado muito em breve. Após uma longa introdução que funde "Catalysm" e "Requiem", Chester Bennington, Mike Shinoda entram em cena para o primeiro de 3 atos. Com "Guilty All The Same", "Given Up", "Points of Authority" e "One Step Closer" a banda mostra o seu lado mais rockeiro, deixando a enorme massa de fãs pronta para o que faltava das 2 horas de concerto. O segundo ato pode ser descrito como o momento da noite, com o público a entoar a plemos pulmões "Papercut", "With You" e "Runway" (temas de Hybrid Theory, primeiro longa duração editado em 2000 que continua a levar ao delírio os admiradores da banda), que rapidamente evolui para a electrónica "Castle of Glass (Experience)", culminando com um medley "Leave Out All The Rest"/"Shadow Of The Day"/"Iridescent" que, de forma muito subtil meteu a bela vista a gritar e a pular como se não houvesse amanhã. O concerto prosseguiu e não ficaram de fora os êxitos "Burn It Down", "Waiting For The End", "Numb", "In The End" e "Faint" que arruma com o terceiro ato.
Para o encore ficou o novo single "Until It's Gone" e se prolongou em apoteose com a participação de Steve Aoki (com "A Light That Never Comes"), e a sequência que pôs ponto final a mais uma passagem dos LP no Rock in Rio Lisboa ("Crawling", "New Divide", "What I've Done" e "Bleed It Out").

A noite prosseguiu com o DJ Steve Aoki a transformar a Bela Vista numa pista de dança gigante. Uma festa com bolos a voar, banhos de champanhe e barcos insufláveis.

Mais um dia do Rock in Rio que superou as expectativas dos mais de 68 mil que marcaram presença no terceiro dia do festival. Houve lugar para a estreia dos brasileiros "Capital Inicial", para a afirmação dos Queens Of The Stone Age, para os fãs e admiradores dos Linkin Park vibrarem com os seus grandes êxitos e ouvirem temas de "The Hunting Party" e de se descobrir como é que Steve Aoki anima as noites de sexta-feira.

Fotos: Vic Schwantz e João Paulo Wadhoomall/Agência Porto
Texto: Bruno Silva


,