Spiritualized: E que tal um pouco de gospel no Vodafone Paredes de Coura?


Spiritualized: E que tal um pouco de gospel no Vodafone Paredes de Coura?

Uma entrada sem aquecimentos, uma atuação de deixar gargantas a doer de tanto cantar, belos silêncios, belíssimas vozes. Os astros alinharam-se para um espetáculo surpreendente de Spiritualized numa noite em que até o frio foi espantado tamanho era calor emanado do palco principal do Vodafone Paredes de Coura.

Os britânicos Spiritualized, nascidos pela mão mestra de J. Spaceman (como é conhecido Jason Pierce) trazem consigo desde 2018 um aclamado And Nothing Hurt de baladas que soam a um rock redentor e contemplativo, indubitavelmente espiritual.

Ainda assim, foi num registo de "go Big or go Home" que entram em palco e iniciaram o espetáculo. Viajando aos anos 90, apresentaram "Come Together" de Ladies and Gentlemen, We Are Floating In Space (1995). Uma entrada, como se costuma dizer na gíria, "de leão". Quantos e quantos não terão ficado boquiabertos perante tal presença de palco.

O contraste veio a seguir com "Shine A Light", balada mais calma de Lazer Guided Melodies (1992) que permitiu "desenjoar" os ouvidos de tanto caos sonoro produzido há momentos atrás. "Soul On Fire" de Songs in A&E (2008) demonstrou a presença do trio de vozes femininas de gospel, preponderante neste grandioso (e religioso) concerto. Letras fáceis de captar ajudaram o público do segundo dia do Vodafone Paredes de Coura, a dar ainda mais força à comunhão que se ia criando com Spiritualized.

And Nothing Hurt (2018) finalmente teve a sua oportunidade, com "A Perfect Miracle", "I'm Your Man", Let's Dance" (com direito a coreografia estilo igreja de gospel criada pelas filas centrais da plateia), "On the Sunshine (novamente de volta ao blues), "Morning After" (a fazer lembrar Elvin Presley).

No final, debaixo do céu estrelado e de uma noite abençoada, mandou-se embora o frio e esquentaram-se as almas ao som de "Oh Happy Day".

Equipa Noite e Música Magazine no Vodafone Paredes de Coura
Fotografia: Júlia Oliveira
Textos: Gonçalo Neves
Edição: Nelson Tiago