Orville Peck no Super Bock em Stock: Country, Indie e Queer?? Sim, é possível!!!


Orville Peck no Super Bock em Stock: Country, Indie e Queer?? Sim, é possível!!!

Na Casa do Alentejo tocou um dos "ovnis" deste festival. Orville Peck é, segundo definição própria, um "masked country queer musician". De identidade escondida pela máscara, mistura de Lone Range com dançarina do ventre, fala-se que será um baterista de uma banda canadiana obscura de punk, os Nu Sensae, mas não será o mais importante.

Orville é um dos fenómenos da música indie de 2019, sempre em busca de coisas novas ou diferentes. Quem diria que um cantor country assinaria por uma editora alternativa como a Sub Pop, de onde saíram por exemplo, os Nirvana?

Com voz de Elvis e influenciado por Willie Nelson ou Dolly Parton, Peck junta às canções claramente country dos anos 50 e 60, uma estética indie rock ou até mesmo gótica. O seu disco de estreia Pony conta com vídeos inspirados em David Lynch e lançou também duetos, com nomes como Mac DeMarco.

No concerto da Casa do Alentejo assistimos a uma festa country, intercalada por músicas do seu álbum de estreia, covers de antigas músicas country com nomes como "Uhhhhh Las Vegas", e umas histórias pelo meio (como a de Orville ter vivido uns tempos perto de Cascais).

Equipa Noite e Música Magazine no Super Bock em Stock
Fotografia: Eduardo Salvador
Textos: Miguel Lopes
Edição: Nelson Tiago