"Natiruts Reggae Power" chegou e arrasou!


"Natiruts Reggae Power" chegou e arrasou!

Os Natiruts voltaram a Portugal depois de uma temporada sem passar por terras lusas e o Coliseu do Porto encheu para os ver. A banda, oriunda do Brasil, marcou a sua performance com êxitos intemporais mas também com a apresentação do seu último álbum lançado em 2017. O grupo anunciou ainda o lançamento de um novo disco a ser lançado este ano apresentando já um dos temas que o compõem.

A abertura do concerto ficou a cargo do cantor e MC Rael. O artista apresentou o seu mais recente trabalho Coisas do Meu Imaginário e conquistou por completo este povo portuense que já havia esgotado a sua estreia em Portugal no passado dia 29 de Junho no Plano B. O brasileiro Rael trouxe a sonoridade do seu reggae e rap alternativo a embalou a multidão que esperava ansiosamente a chegada dos Natiruts ao palco. Rael encontra-se na Europa para fazer uma tour que começou no Porto exatamente pela recetividade que teve na sua estreia.

Hora então de dar início ao espetáculo dos protagonistas da noite. Passavam já alguns minutos da hora marcada quando a banda Natiruts subiu a um palco em ânsia de os receber. "Na Positiva" foi a canção escolhida para dar início a este que viria a ser um espetáculo memorável que contou com a energia única dos nortenhos assim como a sua afinação nas mais variadas letras. Em palco, Alexandre Carlo, vocalista, contou com o talento de um conjunto de onze músicos que se distribuíam em cordas, percussão, bateria, teclas, sopro e back vocals femininos.

Nesta noite não faltaram temas como "Caracá", "Caminhando Eu Vou" e "Deriram". Mas o primeiro momento alto da noite ficou a cargo de "Quero Ser Feliz Também", tema de 2005 que integra o álbum Nossa Missão e mostra um lado mais pop do grupo.

"Esta canção é sobre um passarinho pequeno mas que tem muita força. Lembra-nos que a natureza é maravilhosa e temos que a cuidar" – Estava dada a introdução para a conhecida "Beija-flor". A canção de 1997 foi uma das primeiras a ser escrita e integrou o álbum Nativus que foi também o nome da banda inicialmente escolhido pelo grupo.

"Você Me Encantou" deu continuidade ao alinhamento e obteve também uma grande recetividade pelo público do norte. Seguiram-se temas como "Iluminou" e "Glamour Tropical". Esta segunda marcada pela "loucura de gravar o videoclipe em cima de uma montanha", afirmou o vocalista Alexandre Carlo.

"Eu desejo muita paz nas nossas casas, nossas vidas e nos nossos corações" – Estava dada a introdução ao tema "Em Paz", datado do ano de 1999. Seguiu-se o bem conhecido "Meu Reggae é Roots" assim como a familiar "Andei Só". Momento para introduzir a nova "Hoje eu Quero Ouvir" e anunciar o lançamento de um novo trabalho discográfico a ser lançado em breve e ainda em 2018.

O concerto caminhava a passos largos para o final mas havia ainda muito por ouvir. "Deixa o Menino", "Liberdade" e "Groove Bom" ficaram reservadas para a reta final e fizeram as delícias deste púbico que não descorou a sua energia positiva nem por um minuto. Esta é a magia de um grande concerto, artistas que dão tudo de si em palco e um público que recebe e retorna essa energia em dobro. E isto é o Porto.

"Somos muito felizes por termos a oportunidade de fazer música e ver que vocês a recebem como vossa" – Palavras do vocalista que antecederam o sucesso "Reggae Power" e marcaram a saída dos Natiruts de palco.

Sob a chamada fervorosa do Norte, os Natiruts voltam ao palco para um encore que contou com "Dois Planetas" e com a canção que é quase um hino da banda. "Sorri, Sou Rei" foi a escolhida para terminar o espetáculo e resultou num culminar de toda a energia contagiante que pelo Coliseu se fez sentir nesta noite.

Os Natiruts rumam agora a Lisboa para um Coliseu dos Recreios já lotado à espera da sua chegada.

Fotografia: Júlia Oliveira
Texto: Daniela Fonseca