Xutos & Pontapés na Meo Arena: 35 anos a encher "casinhas"


Xutos & Pontapés na Meo Arena: 35 anos a encher "casinhas"

Noite de romaria á capital para celebrar os 35 anos anos á "maneira" deles.

Os Xutos e Pontapés marcaram dois concertos na Meo Arena para comemorarem o 35º aniversário e apresentarem Puro. A primeira noite foi assim:

Pelas 21h30, o DJ Cruzfader (pertencente aos Orelha Negra), subiu a um pequeno palco montado no meio da arena para animar o público que não parava chegar. Ninguém quis perder este espetáculo que prometia ser único e, com a casa completamente esgotada, o som e a luz do DJ são interrompidos para que as atenções se centrem num vídeo que apareceu numa tela com relatos de vários fãs, dos membros e com imagens que contam a já grande história dos Xutos. Do balcão 1 começa-se a sentir alguma agitação o que despertou a atenção de todos os presentes; Zé Pedro, Kalú, Tim, João Cabeleira e Gui descem do balcão para a plateia e atravessam por entre os fãs, caminhando lentamente até ao palco… ao fundo, ouvia-se "Há 10.000 anos atrás" de forma repetida e, serviu de mote de arranque do concerto; "Tu Também" primeiro single do último trabalho da banda, que já está na ponta da língua de muitos e levou ao delírio de todos…

"Boa Noite Lisboa! Aqui Xutos e Pontapés" foram as palavras que serviram de transição para "Salve-se Quem Puder" e "De Madrugada (Tu & Eu)", recebidas de forma mais contida pela plateia.

O palco fica iluminado por luzes amarelas, acompanhadas com o som de sirenes que culminam numa explosão de chamas e na queda dos panos que escondiam um grandioso cenário constituído por 50 contentores, grafitados com imagens de prédios… Os primeiros acordes de "Contentores" são lançados e existe uma explosão no público: todos se levantam, aplaudem, dançam, cantam, gritam… Está feito o primeiro momento alto da noite que se prolongou com "Ai Se Ele Cai" e "Não Sou o Único".

A comemoração prosseguiu com "Puro" a ser apresentado quase na sua totalidade, mas não foram esquecidos os grandes êxitos, tais como "Homem do Leme", "Remar Remar", "Mundo ao Contrário".

Mais um grande momento de euforia ocorre com o arranque de "À Minha Maneira", que em género de corrida final se transformou em "Dia de São Receber", "Chuva Dissolvente" e "Sémen" (primeiro single da banda que levou ao delírio miúdos e graúdos).

É chegado o momento do falso adeus, mas o público queria e pediu mais. E eles deram: "Cordas e Correntes", "Vida Malvada", "Falhas", "Tonto", "Circo de Feras", "Para ti Maria" e "Casinha", não chagaram para saciar o desejo do público que pediu mais um encore.

Com muitos assobios e gritos, os Xutos voltam ao palco para encerrar a noite ao som de "Para Sempre", deixando a plateia a entoar em plenos pulmões o refrão, de forma repetida.

Portugal orgulha-se de ter uma banda que, com 35 anos de existência, reúne pais, filhos e avós, na maior sala de espetáculos do país, para uma festa que agrada a todos… Festa que vai ficar "Para Sempre" na nossa memória.

Alinhamento:
Tu Também
Salve-se Quem Puder
De Madrugada (Tu & Eu)
Contentores
Ai Se Ele Cai
Não Sou o Único
Ligações Directas
Um Deus
Negras Como a Noite
Superjacto
Da Nação
Nesta Cidade
N´América
Barcos Gregos
Homem  do Leme
Remar Remar
Inferno II
Mundo ao Contrário
Mergulho
Voz do Dono
Milagre de Fátima
Submissão
À Minha Maneira
Dia de São Receber
Chuva Dissolvente
Sémen
Cordas e Correntes
Vida Malvada
Falhas
Tonto
Circo de Feras
Para ti Maria
Casinha
Para Sempre

Fotos: João Paulo Wadhoomall
Texto: Bruno Silva


,