Vaya Con Dios no Campo Pequeno: reportagem


Vaya Con Dios no Campo Pequeno: reportagem

Tour de despedida dos Vaya Con Dios – ‘The Farewell Tour’ – passou por Lisboa. Saiba como correu o concerto.

Numa noite em que a chuva voltou, os Vaya Con Dios regressaram aos palcos portugueses para apresentar a "The Farewell Tour"; a anunciada despedida dos palcos. O Campo Pequeno foi o local escolhido para esta feita e estava praticamente a rebentar pelas costuras.

Poucos minutos após a hora marcada, entram 7 músicos em palco que deixam o público num autêntico alvoroço, culminando com a entrada de Dani Klein (vocalista da banda desde a sua formação, em 1986) que, após uma vénia deseja as boas noites ao público e arranca com "One Silver Dollar" (original de Marilyn Monroe, incluído no primeiro trabalho da banda, editado em 1988 pelos belgas).

"Não falo português, falo um pouco espanhol. É um prazer gigante estar aqui esta noite" foram as palavras ditas num "portunhol" perfeitamente compreensível e que levaram a plateia a viajar no tempo com "Time Flies", a revisitar "Johhny", "Lulu´s Song" e "Quand Elle Rit Aux Éclats" (tema cantado na língua materna da banda; Francês).

Após a muito bem recebida "Heading For a Fall" é chegado o momento de entrar mais uma passageira a bordo; Marianne Aya Omac (cantora francesa) é anunciada como uma prenda para o público, e, acompanhada da sua guitarra acústica apresenta "No Reason to Feel Guilty", um dos momentos altos da noite. Dani senta-se junto dos seus back-vocals e Marianne apresenta "Duele" que arranca em modo de declamação poética e, sempre em crescendo acaba num duelo entre a sua poderosa voz e o ritmo do trompete despertam o público para a continuação da viagem. "What´s a Woman?", "Don´t Cry For Louie" e "Just a Friend of Mine" acompanharam a viagem até "Puerto Rico" que despertou a voz do público, marcando mais um momento do concerto que esteve sempre no limiar da perfeição.

Depois de "Don´t Break My Heart" e "Lay Your Hands (Off My Man)" a vocalista agradeceu aos portugueses por terem acompanhado a banda desde sempre e mostrou-se contente por ser compreendida em Inglês, recordando as diferenças da sua primeira passagem por terras lusas e arrancou com "Pauvre Diable" que foi muito bem recebida e, com um tributo à musica cigana apresenta a banda e saem de palco por apenas uns breves segundos…

"I dont want to know" e "Still a Man" (em dueto com a sua backvocal Maria Lekranty que está na banda desde o começo) foram os temas que antecederam o derradeiro fim… "Querem dançar, cantar, ficar malucos?" – foram as palavras que anunciaram o tema mais conhecido da banda; "Nah Neh Nah", que arrancou todos os passageiros desta viagem das cadeiras para responderem ao desafio de Dani e, terminando com agradecimentos em várias línguas, os Vaya Con Dios abandonam o palco com um eufórico aplauso.

A última passagem dos Vaya Com Dios levou o Campo Pequeno numa longa viagem que serviu para revisitar os maiores êxitos da banda cheia de Jazz, Blues, Soul, ritmos ciganos e latinos. Até sempre e "Vaya Con Dios".

Fotos: João Paulo Wadhoomall
Texto: Bruno Silva


,