The National ao vivo na Meo Arena, em Lisboa: reportagem


thenationalmeoarena

Trouble Will Find Me foi apresentado ao público português na 11º visita da banda de Matt Berninger a terras lusas.

A apresentação de Trouble Will Find Me o mais recente álbum dos americanos The National foi o pretexto perfeito para Matt Berninger e companhia regressarem pela 11ª vez ao nosso país. Seis álbuns de originais depois, os The National já são da casa, e embora o outrora pavilhão Atlântico, não tenha enchido para os receber, quando surgiram em palco ao som de "Don’t Swallow The Cap" do novo álbum, as pessoas que preenchiam o espaço já tinham encontrado o seu lugar. Seguiu-se "I Should Live in Salt" também do mais recente trabalho e mostrou que  os fãs também já conhecem bem o novo álbum. Num palco simples mas eficaz a nível visual, sem grandes exageros mas a assentar bem com a melancolia própria dos The National.

"Secret Meeting" foi a terceira música do alinhamento e recebeu uma das primeiras grandes ovações da noite. Seguiram-se "Bloodbuzz Ohio", "Demons",e "Sea of Love", numa mistura de temas entre os dois últimos trabalhos da banda, onde também se ouviu "Hard To Find" e "Afraid of Everyone".

Se as maiores ovações foram com alguma naturalidade para as faixas mais antigas de "Alligator" e "Boxer", o novo "Trouble Will Find Me" parece também já bem conhecido entre os fãs, como podemos comprovar em temas como "Graceless", "Sea of Love" ou a mais melancólica "Pink Rabbits".

Por esta altura já havia um misto de emoções na sala, à medida que músicas mais melancólicas iam sendo intercaladas com o rock e raiva de temas como "Abel" ou "Squalor Victoria", tema que resulta melhor ao vivo do que na versão original de estúdio. A surpresa da noite havia de surgir com a antiga e bonita "About Today" resgatada ao EP Cherry Tree, e que deixou muitos de lágrima no olho. Ainda antes de "Fake Empire" (último tema antes do encore), tempo para Matt Berninger aproveitar para agradecer ao público português as calorosas receções desde os primeiros concertos no nosso país, referindo que "Quando ainda ninguém nos prestava atenção, vocês fizeram-no. E isso significa muito para nós". É que apesar do crescimento que a banda teve nos últimos anos, os norte-americanos não esquecem o passado.

No regresso ao palco para os temas finais, Matt não encontra a sua companheira de palco, a habitual garrafa de vinho, mas o espetáculo continua com a nostálgica "Sorrow", seguindo-se a feroz e apropriada para este dia "Mr.November", tema habitualmente partilhado por Matt na plateia e esta vez não foi exepção. "Terrible Love", um dos melhores e mais fortes singles dos The National abriu caminho para o final esperado, com "Vanderlyle Crybaby Geeks" cantada na já habitual versão acústica entoada pela banda e público criando um momento único, intimista e de perfeita comunhão que não sendo novidade não deixa de emocionar quando milhares de vozes entoam "All the very best of us string ourselves up for love", mostrando que os The National estão e se sentem em casa à sua décima primeira passagem pelo nosso país.

Fotos: Gustavo Machado
Texto: Ana Isabel Soares


,