Scorpions em Oeiras: Alemães têm a escola toda [fotogaleria + texto]


Scorpions em Oeiras: Alemães têm a escola toda [fotogaleria + texto]

Corrigidos (ou pelo menos minorados) os problemas do dia anterior, a entrada do público já foi mais célere. Chegados a um Estádio Municipal de Oeiras podemos notar que o recinto estava ainda mais composto que no dia anterior (apenas as zonas de visibilidade reduzida estavam desertas).

Na primeira parte o coletivo americano The Dead Daisies aqueceu a multidão sequiosa de ver os cabeças de cartaz. Esta banda é basicamente uma all-star-band de secundários do hard-rock. Tem membros que passaram pelos Whitesnake, Mötley Crüe, ou Journey e também por lá tocaram ex-membros dos Guns'n'Roses, Thin Lizzy, The Cult ou INXS. É uma banda bastante competente formada à apenas 5 anos mas já com uma carreira de sucesso no Japão e Europa, andando ainda por todo o mundo como eterna banda de abertura de nomes como Aerosmith ou ZZ Top. No set de 1 hora, passaram essencialmente pelos 2 últimos álbuns Make Some Noise e Burn It Down, juntando ainda uma versão dos The Rolling Stones.

Pelas 22h30, chegou a banda que todos esperavam: os Scorpions não se cansam de passar pelo nosso país e os fãs estão sempre presentes. Recorrendo a menos artifícios do que os Kiss no dia anterior, os alemães são essencialmente competentes (cliché!) e conseguem agarrar a plateia durante todo o concerto. Sem pinturas faciais, pirotecnia ou até grande estilo de estrelas rock, a turma de Klaus Meine, Rudolf Schenker e companhia já têm mais de 50 anos na estrada e os concertos não têm grande segredos para eles.

A abertura (depois de uma animação a fazer lembrar o início dos últimos concertos de AC/DC), foi com "Going Out With a Bang" e "Make it Real" já com a bandeira de Portugal em pano de fundo nos ecrãs. "The Zoo" com toques quase reggae antecede o monumental instrumental que é "Coast to Coast". O primeiro medley da noite é feito com "Top of the Bill / Steamrock Fever / Speedy's Coming / Catch Your Train" sem paragens pelo meio.

Depois das passagens pelo último álbum Return to Forever com "We Built this House" ou o já citado “Going Out With a Bang", é a vez de Ingo Powitzer ser convidado para a guitarra em "Delicate Dance". "Send Me an Angel" (com as originais Flying V e Z guitars também em formato acústico) a fazer levantar os telemóveis (atuais substitutos do tradicional isqueiro), "Winds of Change" a colocar todo o estádio a cantar e "Tease Me, Please Me" não poderiam faltar, ou não fosse esta a "Crazy World" Tour (albúm de 1990).

Aproveitando o baterista Mikkey Dee, na banda desde 2017, após a morte de Lemmy Kilmister fizeram a homenagem aos Mötorhead com "Overkill" seguida do habitual drum solo a aproveitar o duplo bombo da bateria. Para terminar, "Blackout" e "Big City Nights" antes do encore com dois dos maiores hits "Still Loving You" e "Rock You Like a Hurricane".

Ficaram a faltar alguns clássicos mas ao ritmo que voltam a Portugal, ninguém ficará à espera durante muito tempo para os ouvir!

Fotos: Alexandre Paixão
Texto: Miguel Lopes