Jamie Cullum no Coliseu do Porto [fotogaleria + texto]


jamiecullumporto

Jamie Cullum esgotou o Coliseu do Porto. Músico britânico apresentou temas do novo álbum, Momentum.

O concerto do Jamie Cullum no Coliseu do Porto na passada terça-feira foi…  Madhështor, spektakulär, захапляльны, ikusgarria, spektakularan, ефектен, masilakon, okázalý, espektakilè, okázalý,  Spektakularni, tähelepanuväärne, kagila-gilalas, mahtava, spectaculaire, θεαματικός , látványos, spektakuler, iontach, fallegt, spettacolare, Iespaidīgs, hebat , spektakularny, kuvutia, spektakulära… AMAZING … ESPETACULAR!

E dito isto podia terminar aqui o meu texto ou continuar e dizer que o Coliseu do Porto estava lotado para ouvir Jamie Cullum e o seu novo álbum Momentum editado em maio deste ano, depois de no passado mês de julho ter passado pelo Edp Cool Jazz Fest.

Também podia dizer que para a primeira parte, o artista britânico convidou a talentosa norte-americana Kat Edmonson, que apresenta na sua estreia em Portugal os discos Take to the sky e Way down low.

Ou ainda podia mencionar que Jamie tem mais de 10 milhões de discos vendidos e que faz parte da grande família da Island Records, família da qual destacam nomes como Mumford & Sons, Bob Marley, Amy Winehouse, Robbie Williams, Florence And The Machine e Jessie J.

Também podia confessar que conhecia muito pouco deste novo trabalho para além do single "Love For $ale", uma versão do clássico de Cole Porter produzida pelo Dan The Automator (DJ Shadow, Gorillaz) e a participação do rapper britânico Roots Manuva, mas depois de ter assistido ao concerto fiquei deliciada com o novo trabalho.

Podia também comentar convosco que britânico conseguiu que o público gritara, cantara, saltara de autêntica euforia, mas também que guardara o mais sepulcral dos silêncios quando cantava temas mais intimista como o "Gran Torino" no final da noite.

Podia contar que Cullum veio ao Porto apresentar o seu novo disco mas que não quis oferecer unicamente os seus novos temas. E que é um músico inteligente e por isso misturou o mais recente com o já consagrado tanto do seu repertório mais divertido como do mais intimista. O que resultado foi um êxito rotundo, devido em grande parte a sua capacidade como "show man", dominando sempre o palco e o público.

Também podia comentar que entre os novos temas destacaram-se "Everything You Didn't Do", "'When I Get Famous", a história, nas próprias palavras de Jamie, de um menino ao qual as meninas na escola ignoravam e que decidiu ser famoso para deitar-lhes isso à cara "não é uma história autobiográfica", ressaltou entre risos.

Podia contar-vos que Jamie Cullum não se apresentou no palco a solo, que com ele estavam mais quatro músicos para o acompanhar nos baixos, contra-baixos, percussão, trompetes e saxofones. E que depois das habituais apresentações dos restantes elementos seguiram-se algumas covers já habituais nos alinhamentos do músico: "Just One of Those Things" originalmente interpretada por Cole Porter e "Blackbird" dos Beatles fundida com "Save your soul" do seu mais recente disco, ou que um dos momentos altos da noite foi com a cover  "Don’t Stop The Music" de Rihanna, onde o músico é UNO com o piano.

Ou podia terminar dizendo que a noite acabou com uma grande ovação final com milhares de pessoas em pé a aplaudir este pequeno grande músico, que a mereceu inteiramente.

Podia comentar todas estas coisas mas basta com dizer que: O concerto de Jamie Cullun no Coliseu do Porto foi E S P E C T A C U L A R!

Fotos: Nuno Fangueiro
Texto: Aida Suarez


,