Festa do Avante '12: 2º dia, 8 setembro


Ano após ano o convívio repete-se na Quinta da Atalaia com a Festa do Avante, um evento singular construído sobre as bases do voluntariado do PCP e que alia a cultura e a música ao debate político e às preocupações sociais.

Diversos palcos asseguram uma oferta diferenciada em termos de espetáculos musicais, havendo ainda lugar a mostras de cinema, teatro, exposições de fotografia, feiras do livro e de música, desporto e debates.

Ao longo do dia as pessoas circulavam entre os diferentes polos de atração aproveitando para descansar nos jardins ou refrescar-se nos lagos, mas ao início da tarde os locais preferenciais de concentração eram junto ao Palco 25 de Abril e no Auditório 1º de Maio que iriam receber os principais espetáculos.

Pelas 17h os Uxu Kalus subiam ao palco do Auditório 1º de Maio que a esta hora já se encontrava bastante preenchido, mesmo com o calor que se fazia sentir no seu interior. Numa atuação pautada pela irreverência e pelo incentivo à dança, os Uxu Kalus trouxeram para o avante a sua aposta na musica folk portuguesa e a averiguar pelo público foi uma aposta ganha.

Pela mesma hora Miúda atuava no Palco 25 de Abril, um novo projeto de música pop que tem como vocalista Mel Monte e que se estreou no panorama musical português com o single "Com quem eu quero", que já é um sucesso no youtube e redes sociais e cuja letra gera bastante controvérsia. Ficámos com a sensação de que o palco principal terá sido um pouco grande demais para «uma miúda», apesar de alguns fãs da banda que que se encontravam nas primeiras filas, o restante público parecia não estar muito cativado pela atuação.

A próxima banda a subir ao palco principal foram os Wraygunn e sob o mote de Paulo Furtado o rock’n’roll invadiu o avante. O público juntou-se à invasão cantando e dançando na plateia as canções do mais recente trabalho "L’Art Brut". Um pequeno grupo teve ainda a oportunidade, a convite do vocalista, de subir ao palco e de partilhar com os músicos um dos temas.

Num novo salto ao auditório para ver A Naifa, que em breve entrava em palco, ainda nos cruzamos com o Quinteto Nuno Costa que terminava a sua atuação, perante um público que tranquilamente os ouvia sentados ou até mesmo deitados, num cenário que mais se assemelhava a uma sessão de relaxamento.

Quando A Naifa inicia o seu concerto já o público se encontrava todo de pé e na voz de Maria Antónia Mendes ouvimos a interpretação de temas do seu mais recente álbum "Não Se Deitam Comigo Corações Obedientes", incorporando ainda os seus anteriores trabalhos.

A noite começava a cair e Sara Tavares, a menina que se lançou no programa chuva de estrelas, começava a brilhar no palco 25 de Abril. Com ela trouxe alguns convidados que deram ainda mais luz a este início de noite: Nancy Vieira, Rão Kyao e Carlos Nobre (Pacman).

Findo o espetáculo de Sara Tavares um mar de gente começava a deslocar-se para o auditório que iria receber os Terrakota. O volume de público que queria ver banda multicultural, que em 2012 se apresenta num novo formato, era superior ao limite do espaço levando a que muitos assistissem a partir exterior, mesmo que para isso pudessem apenas ouvir a atuação. Os que estavam no exterior perderam as bailarinas e os malabarismos, mas o ritmo e a alegria que os músicos incutiram no espetáculo passava para além das barreiras físicas.

Por esta altura muito optavam para uma pequena pausa para recuperar forças e reabastecer calorias. A oferta gastronómica da Festa do Avante é diversificada e, tal como a música, existiam sugestões culinárias para todos os gostos.

Pelas 23h Jorge Palma iniciava o concerto no Palco 25 de Abril, primeiro acompanhado da guitarra que depois trocou pelo piano. Cristina Branco, Tiago Bettencourt e Tim partilharam o palco com o músico que já leva 40 anos de carreia e que continua a encantar com as suas composições que parece que se sobrepõem ao tempo continuando atuais.

Num espetáculo que para além de musical é essencialmente visual os Blasted Mechanism fecharam o dia no palco principal. A cor e o movimento ilustraram uma atuação que foi acompanhada pelos seus seguidores que cantavam ininterruptamente as músicas, facto que levou a que uma pequena avaria técnica no microfones, que se verificou ao início, passasse quase despercebida.

Fotos: Pedro Figueiredo
Texto: Vânia Marecos


,