Caetano Veloso no Coliseu do Porto: Canções que falam por si [fotos + texto]


Caetano Veloso no Coliseu do Porto: Canções que falam por si [fotos + texto]

Uma noite intimista que encantou o Coliseu.

Caetano Veloso esteve ontem no Coliseu do Porto para o primeiro de dois concertos a realizar no Norte. "Caetano apresenta Teresa" é o mote para juntar num só palco a voz de Caetano Veloso e da também brasileira Teresa Cristina. O resultado foi um Coliseu esgotado e mais de 30 temas em 2 horas.

"Boa noite Porto, antes de regressar para cantar para vocês, vou deixar-vos com a maravilhosa Teresa Cristina" – Teresa Cristina apresentou-se no Coliseu com alguns temas do seu último disco Teresa Cristina Canta Cartola. Cartola foi um cantor, compositor e instrumentista brasileiro considerado por muitos o maior sambista da história da música brasileira. A digressão na Europa, além de ser um espetáculo do próprio Caetano Veloso, passa também por apresentar o trabalho da cantora brasileira.

Em palco, apenas a cantora e Carlinhos Sete Cordas com o seu violão. "O Mundo é um Moinho" foi a primeira canção a encantar o Coliseu. Seguiram-se os temas "Corra e Olhe o Céu" e "Preciso me Encontrar", a simplicidade do cenário ajudou a criar um ambiente intimista e acolhedor.

A magia dos temas por ela interpretados criou um ambiente de ternura no Coliseu. O único momento em que Teresa Cristina se permitiu brincar com o público foi no tema "Teve Sim", invertendo os papéis do homem e da mulher num tema onde se fala de um amor maior anterior ao que o homem tem agora. A brincadeira despertou risos na plateia.

A cantora brasileira terminou a apresentação com o tema "As Rosas Não Falam" e com um cravo na mão celebrando a liberdade que Portugal conquistou em 1974.

E se a noite era de Caetano apresentar Cristina, foi a brasileira que o apresentou seguidamente. "Lá no Brasil, dizemos que ele é de outro mundo" – Caetano Veloso subiu então ao palco acompanhado apenas pelo seu violão.

Com 74 anos, o músico e cantor brasileiro mostrou ao público nortenho que o seu talento para a música manteve-se intacto nestes mais de 50 anos de carreira.

Pouco falador, como é de resto habitual nos seus espetáculos, Caetano Veloso interpretou sem parar 19 dos seus temas. "Luz do Sol" foi o primeiro a ser ouvido pelo Coliseu. "Leãozinho" seguiu-se pouco depois e foi uma das canções mas aclamadas pelo público. Lançado em 1997, este tema tornou-se um sucesso na carreira do cantor, passaram-se 20 anos e o público tinha-o na ponta da língua. Assim como também tinha "Menino do Rio".

"Love For Sale" foi cantado à acapella e foi dos poucos temas que teve direito a algumas palavras por parte do cantor, "Este é um daqueles temas que podia ter ganho um Nobel". Seguiram-se dois temas que Caetano Veloso escreveu em 1968 associado ao medo e entusiamo vivido na época do Tropicalismo no Brasil. Esta época caracterizou-se pela manifestação vanguardista nas artes que pretendia contrastar com a ditadura militar que estava instaurada no Brasil desde 1960.

Antes de trazer de volta ao palco Teresa Cristina e Carlinhos, Caetano interpretou um dos temas mais esperados da noite. "Sozinho" foi uma das canções mais cantadas pelo Coliseu do Porto, assim como "A Luz de Tieta”.

Já os três em palco interpretaram "Tigresa", tema de Caetano Veloso lançado em 1977 e também conhecido do público. O trio despediu-se com a conhecida do público "Odara" e "Qualquer coisa".

"Até à próxima, Porto!" – Caetano Veloso despediu-se do público com um cravo na lapela do casaco.

Caetano volta hoje ao Coliseu do Porto para uma segunda data depois de ter esgotado ontem a sala nortenha.

Fotos: António Teixeira
Texto: Daniela Fonseca


,