• Passatempo: ganha passes para o festival O Sol da Caparica 2018

    Serão quatro dias de celebração de sol, praia, surf e música com um cartaz diversificado que continua a erguer a bandeira da Língua Portuguesa. Com um sucesso crescente nas edições anteriores, que se cifrou em dezenas de milhares de visitantes, a próxima aventura do Sol da Caparica promete elevar ainda mais a fasquia de uma marca diferenciada no panorama dos festivas musicais portugueses. A música dá à costa no terceiro fim de semana de agosto. A Noite e Música Magazine, em parceria com o festival O Sol da Caparica tem 4 passes single para oferecer. Sabe como participar abaixo. A carregar… REGULAMENTO: – Apenas serão consideradas as participações que incluam todos os dados necessários anunciados;…

  • Jorge Lopes sobre o MEO Marés Vivas: "Quem muda, Deus ajuda"

    O MEO Marés Vivas vai mesmo mudar de local mas esta mudança não preocupa Jorge Lopes. O diretor do festival desconsidera a possível perda de identidade e brinca dizendo que "Quem muda, Deus ajuda". A verdade é que o festival vai andar apenas 400 metros para a frente e acrescentar à vista para o Rio Douro, a vista para o Oceano Atlântico. "Vamos finalmente ter um espaço onde vamos fazer mais e dar mais aos nossos festivaleiros" – Em declarações à Noite e Música Magazine, Jorge Lopes considera apenas aspetos positivos nesta mudança de local porque acredita que não há nada que se vá perder com a mudança. De 25 mil pessoas, o MEO Marés vivas…

Reportagens

Primavera molhado, Primavera abençoado!

O último dia do NOS Primavera Sound foi mesmo o mais chuvoso mas nada pareceu abalar as milhares de pessoas que marcaram presença no Parque da Cidade no Porto. O dia estava esgotado há algum tempo e a vontade de assistir nomes como Nick Cave e The War od Drugs foi maior do que a chuva que se fez sentir. E se a sabedoria popular diz que a chuva tem o poder de abençoar, então este Primavera Sound foi dos mais abençoados das últimas edições! Se passaste a pé ou de barco pelo recinto do festival, então estas fotos são para ti. Equipa Noite e Música Magazine no NOS Primavera Sound Fotos: Júlia Oliveira Textos…

A arte incompreendida dos Mogwai no NOS Primavera Sound

Os Mogwai foram os escolhidos para encerrar o Palco NOS nesta 7ª edição do Primavera Sound. A banda escocesa de rock instrumental teve a difícil tarefa de surgir depois da brilhante atuação de Nick Cave mas o maior problema talvez tenha sido a chuva. Depois de um dia sob chuva constante, os festivaleiros já não estavam com a maior disposição que a arte de Mogwai lhes exige. Falando de rock instrumental, há uma necessidade de compenetração nas sonoridades da banda que a azáfama da chuva não permitia aos festivaleiros. Mas contra todas as condições, os quatro membros que integram atualmente esta banda que já vem de 1995, fizeram o seu espetáculo e arrancaram alguns aplausos…

Um concerto que se prolonga no tempo e um Primavera rendido a Nick Cave

Irreverente e teatral são adjetivos que colamos facilmente a Nick Cave mas impressionante seria o mais fiel para adjetivar o concerto deste último dia de NOS Primavera Sound. Durante mais de uma hora, o artista australiano mostrou que os seus 60 anos são apenas números quando se fala da energia que transporta e partilha. Nick Cave and The Bad Seeds atuaram sob chuva intensa mas não foi por isso que o vocalista demorou menos nas suas canções que parecem prolongar-se no tempo. Uma performance teatral, como é de resto comum, que impressionou os milhares de resistentes à chuva que pararam no Palco NOS para ver esta banda que já conta com mais de 30 anos…

A balada de Luís Severo na chuva do NOS Primavera Sound

Luís Severo teve a difícil tarefa de atuar sobre uma chuva que não deu tréguas neste último dia de festival. O NOS Primavera Sound recebeu o artista lisboeta ainda com pouca afluência de pessoas mas com umas palmas bem sinceras. Passava pouco das 17:00h quando Luís Severo subiu ao Palco SEAT para apresentar um pouco do trabalho que tem vindo a desenvolver nos últimos anos. A plateia estava composta por algumas dezenas de pessoas e foi ganhando mais volume à medida que o concerto foi avançando. Mas nem a chuva nem o horário pouco feliz do concerto pareceram interferir na energia do artista. Durante quase uma hora pudemos ouvir este pop/rock ligeiro que Luís Severo…

A$AP Rocky no NOS Primavera Sound: Um "teste" passado com distinção

A$AP Rocky foi o responsável por encerrar o Palco NOS neste segundo dia de festival e cumpriu muito bem o seu papel. Preferências musicais à parte, este jovem de 29 anos mostrou que sabe como entreter uma multidão e a multidão garantiu o papel de melhor público. Depois de quinze minutos de espectativa com a entrada de A$AP Rocky e quando o público já se divertia com a música gravada do artista que ia soando no Palco NOS, eis que o jovem nova-iorquino surge sozinho neste palco imenso. Junto com ele, uma voz que se mostrou poucas vezes mas que contribuiu para a dinâmica típica de concerto de hip hop que estamos habituados. "Isto é um…

Fever Ray no NOS Primavera Sound: A exuberância carregada de sátira

Fever Ray, pseudónimo com que Karin Dreijer Andersson se apresenta a solo, subiu ontem ao Palco SEAT para um concerto, no mínimo, invulgar. Durante quase uma hora, a banda, totalmente formada por elementos femininos, apresentou a sua arte que carrega uma vasta sátira política e social. Passava pouco tempo da meia-noite quando três elementos subiram ao palco e captaram imediatamente a atenção da plateia. Entre as roupas exuberantes como um fato que simulava um corpo musculado exagerado ou um casaco que imitava a pele de um urso, Karin Dreijer, vocalista, vestia a personagem de um filme de terror. A cara pintada de branco com o sangue à volta da boca fazia querer que este espetáculo…

Entrevistas

Diogo Piçarra em entrevista: "A música é universal e entende qualquer língua"

A uma semana de estrear o palco do Rock in Rio-Lisboa, conversamos com Diogo Piçarra sobre as expectativas de encarar um dos maiores palcos do mundo. O artista falou do orgulho que sente em integrar o cartaz e da barreira da língua que pensa não vir a encontrar no festival. Apresentou também o seu recente EP Abrigo e contou como foi escrever e produzir inteiramente estas três canções. Sem ninguém esperar, Abrigo sai cá para fora com três novas canções. O que é que pretendeste e esperaste com esta surpresa? Há algum tempo que eu já não lançava músicas, principalmente a solo. Tinha lançado a "Trevo" e a "Até ao Fim" mas desde a "Só…

Calema em entrevista: "Para nós é sempre um orgulho cantar em português e representar a Lusofonia"

Os Calema vão estar no próximo dia 13 de abril no Coliseu dos Recreios e a Noite e Música quis saber quais as expetativas dos irmãos, António e Fradique, para a estreia, já esgotada, na Capital. Em entrevista, a dupla falou da maneira como Portugal os recebeu, do enriquecimento que os obstáculos lhes trouxeram e contou, também, como foi a experiência de gravar "Casa de Madeira" na Islândia. Não é propriamente comum encontrarmos dois irmãos com a mesma vontade de fazer música. Como é que esta relação com a música começou? Partiu de um de vocês ou foi acontecendo? António: Nós costumamos dizer que foi a música que nos arrastou, ela é que nos escolheu….

Linda Martini em entrevista: "A música é quase um sentimento de necessidade nossa"

Os Linda Martini estão a comemorar 15 anos de existência e têm novo álbum. A Noite e Música esteve à conversa com o vocalista e guitarrista André Henriques para saber mais deste novo disco e sobre o percurso e as conquistas destes quatro amigos que se juntaram em 2003. O artista falou das maiores diferenças destes 15 anos e da imprevisibilidade do sucesso e do futuro. Depois de 15 anos vemos a Linda Martini na capa do vosso álbum. Porque é que decidiram optar em por o rosto deste vosso nome agora no quinto álbum? Estavam casados que vos perguntassem a razão de se chamarem Linda Martini? Cansados não, até porque é uma curiosidade legítima….

Nelson Freitas em entrevista: "Este EP foi um grande desafio para mim"

Nelson Freitas lançou Journey no fim de 2017 mas já pensa num futuro álbum. Para o artista, este EP, foi um grande desafio na sua carreira por ser diferente de tudo o que já fez. A Noite e Música falou com o cantor sobre este novo trabalho, sobre o percurso que tem vindo a percorrer e as maiores dificuldades em pertencer ao mundo da música. Pertences à indústria musical há alguns anos. Quais têm sido as maiores dificuldades em trabalhar neste mundo da música? O mundo da música é um mundo complicado. Tens que saber como lidar com certas pessoas e com o ego delas. É como eu sempre digo, nada acontece facilmente, é preciso…