Scorpions na Meo Arena: Rock n' Roll Forever


Scorpions na Meo Arena: Rock n' Roll Forever

Meo Arena voltou a encher para receber a banda alemã.

Os Scorpions voltaram a subir ao palco da MEO Arena. Após o concerto esgotado em 2011, na mesma sala de espetáculos, a banda oriunda de Hanôver voltou a esgotar a sala da capital portuguesa. "Rock n' Roll Forever" é o nome da digressão que a banda apresentou em Portugal, um dos países que, segundo os próprios, melhor tem recebido a banda ao longo dos seus 45 anos de carreira. A reportagem do concerto para ver agora:

Depois de um forte aquecimento sonoro com AC/DC e Metallica, e apenas 15 minutos depois das 21 horas (de novo de realçar a "quase-pontualidade" britânica), os ecrãs de vídeo encheram-se de chamas e a bateria elevou-se bem perto do topo para receber as primeiras batidas de James Kottak.

Era uma MEO Arena quase cheia que estava pronta a receber, mais uma vez, estes dinossauros do Rock. E com uma plateia eclética que ia desde o metaleiro pertencente a um qualquer moto-clube nacional (ou espanhol) até casais da Linha que limparam o pó aos seus casacos de cabedal e, por uma noite, recordaram os tempos da discoteca 2001. Mas não se pense que era só um público acima dos 35, pois muitos jovens ocupavam as primeiras filas da plateia como que a provar que o Rock’n’Roll está bem vivo e recomenda-se!

"Sting in the Tail" (do álbum homónimo de 2010) abriu o concerto que poderá, mais uma vez, ser o último em Portugal. Já nesse álbum que deu origem à tour "Get Your Sting and Blackout Tour" os Scorpions anunciavam o final da carreira mas, em 2013, com o lançamento de "Comeblack" iniciaram esta "Rock’n’Roll Forever Tour" e mostram que ainda aguentam mais uns aninhos em alta rotação.

A voz "nasalada" e característica de Klaus Meine chega a "The Zoo" e é acompanhada por uma arena em delírio. Sem parar em "Coast to Coast" instrumental tocada na passarela, chegamos à mais calma "Send Me an Angel" (com as originais Flying V e Z guitars também em formato acústico) a fazer levantar os telemóveis (atuais substitutos do tradicional isqueiro) e já com a bandeira de Portugal bem presente nas costas de Klaus.

Depois das incontornáveis "Love You Sunday Morning" e "Holiday" chegamos a um dos momentos altos do concerto onde James Kottak revisita a carreira dos Scorpions apenas com a sua bateria e ajuda do vídeo. Os aplausos acompanham o "Kottak Attack"! De seguida o guitarrista fundador Rudolph Schenker recorda o álbum Blackout através da indumentária igual à da capa e da canção com o mesmo nome.

Entre a última do concerto e as três do primeiro encore só clássicos: "Big City Nights", as baladas "Still Loving You" e "Wind of Change", e a poderosa "Rock You Like a Hurricane". Num último regresso "No One Like You" fechou definitivamente o concerto duas horas após o seu início.

Apesar de carregarem todos os clichés de uma banda Rock dos anos 70/80 (da indumentária, à pirotecnia e aos falsetes) os Scorpions carregam também a história do Rock conseguindo agradar aos "pesados" fãs de hard/metal e aos casais apaixonados que namoram ao som das baladas mais melosas.  São por isso incontornáveis e obrigatórios para qualquer fã de Rock!

Fotos: João Paulo Wadhoomall
Texto: Miguel Lopes


,