MEO Sudoeste: dia 1 (6/08), com Calvin Harris e Emeli Sandé


MEO Sudoeste: dia 1 (6/08), com Calvin Harris e Emeli Sandé

DJ escocês Calvin Harris regressou ao Meo Sudoeste para gáudio do público. Emeli Sandé surgiu apática mas a sua voz não deixou ninguém indiferente. Os portugueses D.A.M.A levaram Virgul (ex-Da Weasel) e Mia Rose a palco. 40 mil (números da organização) festivaleiros na Herdade da Casa Branca.

O MEO Sudoeste voltou à Herdade da Casa Branca, na Zambujeira do Mar. Esta 19ª edição prometia destacar-se com grandes nomes da EDM e com alguns artistas portugueses que estão a causar furor nestes últimos tempos.

Os D.A.M.A. são os miúdos sensação do último ano. Pisaram o palco principal da Zambujeira do Mar pela primeira vez, com uma entrada digna de graúdos e o tema "Quer" foi o escolhido. Após uma passagem por um registo mais reggae, desconhecido do público em geral. Para agarrar o público nada melhor que a "Balada do Desajeitado" que chega com o Salvador Seixas. Logo de seguida Virgul é convocado para matar as saudades dos Da Weasel com o Re-tratamento a conseguir soltar o público masculino mais tímido. A partir daí a festa estava garantida com "Às Vezes", "Luísa" (com uma breve passagem por "I'm Yours" de Jason Mraz) e terminou com o mais recente êxito "Não Dá", após a passagem de Mia Rose com "Secrets In Silence". Os miúdos mostraram-se à altura de pisar o Palco MEO e cumpriram a missão.

No palco Jogos Santa Casa a língua portuguesa dominou todo o festival. A estrela da primeira noite foi nada mais nada menos que Diogo Piçarra. "Boa noite, bem-vindos ao "Espelho" foram as palavras que o cantor, interprete, musico e artista natural de Faro utilizou para receber o público que se dirigiu em massa para junto dele. Dono de uma voz única que promete vingar no panorama musical nacional. Com apenas um álbum na bagagem Diogo mostrou a sua versatilidade a recorrer a covers como "Hold Back the River" de James Bay, "Stay With Me" de Sam Smith, "Lean On" de Major Lazer, "Problema de Expressão" dos Clã e "Somos os Tais" de Carlão, que o ligaram ainda mais ao público. A esperada "Tu e Eu" serviu para enlaçar os casais mais festivaleiros.

Emeli Sandé veio diretamente da Escócia com o seu R&B e Soul. Não edita trabalho de originais desde Our Version of Events em 2012 e foi com "Heaven"; a música de abertura desse álbum que entrou em cena. A sua voz poderosa conseguiu conquistar rapidamente a plateia mas o pouco articulação tornou o o concerto frio. Houve tempo para um tema novo e com "Read All About It (Part III)" as vozes ecoaram bem alto. Seguiu-se "Lifted" (tema dividido com Naughty Boy) numa versão bem mais funk que soltou alguns pés de dança. Para terminar chegou o seu grande hit, "Next to Me" que conseguiu aumentar a temperatura do espetáculo.

Calvin Harris é um dos DJs, produtores e compositores mais afamados da atualidade e regressa à Herdade da Casa Branca. A expetativa era elevada e com o sonante "Sudoeste, como é que se sentem" dá inicio ao seu set com "Sweet Nothing" (colaboração com Florence Welch). A vibração no público era apoteótica e o registo manteve-se durante o desfilar de hits do último ano, quer com "Latch" (dos colegas Disclosure com os vocais de Sam Smith), "Bitch Better Have My Money" (da sua amiga Rihanna), "Love Me Again" (de John Newman que pisou o mesmo palco no ano anterior) e as indispensáveis "Eat Sleep Rave Repeat" (dos Fatboy Slim) e "Lean On" (tema mais vezes passado ao longo do festival, da autoria de Major Lazer). Da sua autoria foram evocadas várias colaborações muito bem recebidas pela plateia, destacando-se "We Found Love", "Under Control", Feel So Close" e "Summer". Ao longo do set não faltaram vários adereços: papéis, fogo de artifício e jatos de fumo que deram ainda mais vida à loucura que se vivia na tribo festivaleira daquele que para muitos é o 1º dia do MEO Sudoeste de 2015.

Fotos: Eduardo Alberto
Texto: Bruno Sousa