Marisa Monte @ Coliseu dos Recreios: Encanta com a sua verdade e humildade


Marisa Monte, cantora, produtora, instrumentista e compositora com os seus 45 anos veio mostrar a sua nova digressão "Verdade, Uma Ilusão" que tem viajado pelo mundo inteiro e passou por Portugal para 4 apresentações; 2 concertos no Coliseu do Porto e 2 no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

A musa da música pop brasileira não é de dar nas vistas mas foram muitos os que não quiseram perder o último concerto em terras lusitanas, e, à porta do Coliseu as memórias da última passagem de Marisa por Portugal andavam de boca em boca (quase sete anos após a apresentação da tour Universo Particular).

Para terminar em grande esta viagem, a cantora enfrentou o seu quarto concerto esgotado em menos de uma semana. As expectativas eram elevadas e todos esperavam um grande espetáculo.

Foi muito pouco depois da hora marcada que as luzes se apagaram e a banda entra em palco enquanto no pano que separa o público da plateia começam a ser projeto o nome da tour e Marisa Monte em contraluz faz ecoar a sua voz pelo infinito Coliseu, com um excerto de "Blanco". O cenário íntimo foi gradualmente tornando-se colorido com os primeiros acordes de "O Que Você Quer Saber de Verdade". O palco transformou-se numa tela viva onde as cores que ilustram a capa do último álbum iam preenchendo o pano e as paredes circundantes da sala (juntamente com um jogo de luz pensado ao pormenor) e as imagens projetadas no ecrã transportavam os espectadores para um filme onde Marisa e os seus nove músicos se encarregavam da banda sonora. Mais tarde a cantora explicou que vários artistas plásticos ficaram encarregues de criar projeções de acordo com cada música do seu reportório.

Com o arranque da seguinte música; "Descalço no Parque" o cenário em palco mudou, formando uma janela com vista para uma selva tropical e, o pano sobe finalmente, fazendo com que a musa se aproximasse ainda mais da plateia que a recebeu com um aplauso eufórico e caloroso. "Boa noite, é uma alegria estar aqui, nesta mini temporada e ser recebida com tanto carinho. Obrigado e tenham uma noite maravilhosa" foram as palavras que fizeram a passagem para o tema seguinte, voltando com ele um tom intimista.

"Depois" faz parte de uma das novelas do horário nobre e já está na boca de muitos dos presentes, mas quase toda a gente acompanhou palavra a palavra porque na tela toda originando o primeiro momento alto da noite.

No meio do público alguém gritava "Maravilhosa" e muitos concordaram com a afirmação assentindo com um aplauso que fez com que a tímida cantora mostra-se o seu sentido de humor, interagindo um pouco com a plateia.

O espetáculo foi considerado pela crítica brasileira como um dos melhores do ano passado e é sem dúvida uma experiência sensorial única. "Infinito Particular" é exemplo disso porque a projeção de um universo inicia-se no ecrã mas ao longo do tema vai-se alastrando pelo palco e gradualmente por metade do coliseu, fazendo com que os espectadores se sentissem no interior deste mundo.

Durante o concerto, a cantora explorou todo o seu universo musical (dando maior evidência ao seu nono disco), homenageou Cassia Eller contando histórias e partilhando vivências que teve com a cantora referindo que "Saudade não é quando a gente sente falta de alguém. Saudade é quando a gente sente a presença de alguém.", cantou em italiano mostrando a sua admiração por Mina Mazzini (com quem tentou fazer um dueto mas a cantora italiana gostou tanto da música que Marisa lhe mostrou que acabou por gravar sozinha) e lembrando talvez a sua formação musical em Roma, no final da década de 80.

A já bastante antiga "Beija Eu" foi recebida euforicamente pelo público que encheu o recinto com telemóveis que capturavam este momento.

Mais momentos de euforia e alguma magia foram vividos ao som de "Verdade Uma Ilusão" (acompanhada visualmente por um nevão que inicialmente era projetado no vestido da cantora e que se alastrou para o palco e tela, fazendo um jogo de contrastes que deliciou a plateia e quando os Tribalistas foram recordados com o tema "Você é Assim" cuja letra ainda se encontra na cabeça dos portugueses.

Para o encore ficou reservado aquele que é o maior hit da diva brasileira; "Amor I Love You", interpretado apenas ao som da guitarra que altiva Marisa empunhava e tendo a plateia no coro. Marisa contou também com a participação de um elemento do público fazendo a mítica fala de Arnaldo Antunes (palavras de Eça de Queirós) mas que devido ao nervosismo não foi bem sucedido. Um angolano aproveitou a deixa para mostrar o seu talento e de forma avassaladora recitou e de forma triunfal cada palavra do poema, dedicando o momento à sua namorada e fazendo todo o Coliseu vibrar. Após agradecer a cada um dos artistas que contribuíram para a beleza visual do concerto Marisa volta a chamar os Tribalistas, terminando de forma festiva e extasiada ao som de "Já Sei Namorar".

Marisa Monte é considerada por muitos e por algumas revistas ligadas à indústria musical como uma das melhores cantoras do Brasil e é impossível ficar indiferente à pureza e suavidade da sua voz que se alia a uma escrita cativante e sincera. Nesta noite mostrou que é possível aliar a música a outras artes e que o público pode ser mais que um mero espectador auditivo, num espetáculo que mostra o poder da imagem, da sua voz, das suas palavras e que acabou com muitos a questionarem-se se estes 110 minutos foram verdade ou ilusão.

Alinhamento:
Blanco
O Que Você Quer Saber de Verdade
Descalço no Parque
Arrepio
Ilusión
Depois
Amar Alguém
Diariamente
Infinito Particular
E.C.T.
De Mais Ninguém
Beija Eu
Para Ver as Meninas
Sono Como Tu Mi Vuoi
Ainda Bem
Verdade uma Ilusão
A Sua
Gentileza
Eu Sei
Velha Infância
Encore
Amor I Love You
Já Sei Namorar

Fotos: Vic Schwantz
Texto: Bruno Silva


,