Iron Maiden ao vivo na MEO Arena [fotos + texto]


Iron Maiden ao vivo na MEO Arena [fotos + texto]

Os Iron Maiden passaram por Lisboa para apresentar The Book Of Souls, o último álbum da banda inglesa, e impressionar com clássicos do início da carreira. Com abertura dos The Raven Age, a banda fez saltar a MEO Arena em duas horas de espetáculo.

Enquanto a MEO Arena se compunha, os The Raven Age, grupo que acompanha os Iron Maiden na tour de 2016, abriam a noite. Formada em 2009 por Dan Right e George Harris, filho de Steve Harris, a banda londrina tocou ontem pelo segundo ano consecutivo na MEO Arena após terem aberto para Gojira no ano passado. À entrada, e ao som de guitarra, o baterista Jai Patel corre para palco erguendo a bandeira portuguesa, ganhando de imediato o apoio do público que ainda celebrava a vitória portuguesa no campeonato europeu, entrando o resto da banda a seguir a ele.

Passando por temas como "The Death March" e "The Merciful One", George Harris provou ter herdado o talento do pai embora não tenha havido especial destaque para nenhum dos músicos em particular. Para terminar o concerto de abertura, os The Raven Age tocaram a música para a qual lançaram o último vídeo, "Angel In Disgrace" sempre com o consistente apoio da audiência, despedindo-se e realçando o forte e consistente público português: "Portuguese are always the best crowd in the world".

E foi com uma animação em vídeo alusiva ao último álbum e fogo em palco que a banda formada por Steve Harris entrou, dando de caras com uma audiência que não hesitou em levantar-se e aplaudir. O avião foi lançado e "If Eternity Should Fail", o primeiro tema do álbum The Book Of Souls editado pelos britânicos em 2015, introduziu o concerto de ontem. Ainda pela mesma ordem do álbum, segue-se a "Speed Of Light" com a promessa de que a festa dos portugueses iria continuar por mais uma noite.

"Children Of The Damned", "Tears Of A Clown" e "The Red And The Black" seguiram-se continuando a festa que já antes de ontem se tinha instalado em Lisboa. Acompanhados da euforia do público, Adrian Smith, Dave Murray e Janick Gers, os três guitarristas, preencheram a arena durante todo o espetáculo com uma performance infalível. Todos com 59 anos, solaram, dançaram e cantaram como se de jovens se tratassem, especialmente Gers, que não parou durante um único momento do espectáculo. Dickinson, o mais novo, faz a piada: "We’re going to play a few older songs. Older, not old. Not to discriminate against old people including me". No entanto, nenhum dos elementos da banda deixou transparecer a idade que tem tendo mantido sempre a energia.

Para a "The Trooper", Bruce Dickinson, a voz inconfundível dos Iron Maiden, vestiu-se como Eddie e segurou a bandeira como na capa do álbum homónimo ao tema, o que demonstrou o valor que a banda dá a todos os pormenores durante o espetáculo. É também de dar destaque a Steve Harris, o membro fundador da banda que introduziu este tema enchendo a MEO Arena apenas com o baixo e demonstrou sempre a sua grande aptidão. Eddie, a personagem criada pela banda que esteve em grande destaque durante todo o concerto, apareceu em palco na música "The Book Of Souls" que dá nome ao último álbum. Dickinson, num número de teatro, arrancou o coração de Eddie e fez cair o sangue em cima do público aumentando a euforia.

"Fear Of The Dark" foi sem dúvida o episódio mais marcante da noite. O clássico de 1992 foi tocado pela banda como se fosse a primeira vez e recebido de braços abertos pelo público que até a linha de guitarra cantou bem alto. Eram poucos os fãs que não vestiam a camisola dos Iron Maiden e os que não aproveitaram para gravar em vídeo este grande momento. Regressando a 1980, ao som de "Iron Maiden", o tema e a banda, surge um insuflável gigante com a figura de Eddie. É assim que a banda se despede do público pela primeira vez, atirando palhetas, baquetas e até mesmo peles da bateria.

Para terminar em grande um espetáculo que impressionou desde o início, o grupo volta a palco para um encore que leva o público ao inferno e o diabo ao público com "Number Of The Beast" e "Blood Brothers". A noite termina ao fim de quinze clássicos com a "Wasted Years", tema de 1986. A saída dos Iron Maiden foi acompanhada de fortes aplausos que corresponderam à energia com que a banda preencheu a MEO Arena.

Numa noite repleta não só de grandes músicas, mas também de grandes cenários e animações, os emblemáticos Iron Maiden não deixaram de impressionar toda a audiência. O grupo, que tem já cerca de quarenta anos de carreira e experiência, provou na noite passada ser imortal: "This is all about love, life and music", disse o vocalista.

Fotos: João Paulo Wadhoomall
Texto: Maria Roldão


,