Bastille no Rock in Rio-Lisboa: a pop eletrónica que colocou a Bela Vista a dançar


Bastille no Rock in Rio-Lisboa: a pop eletrónica que colocou a Bela Vista a dançar

Os britânicos Bastille não são desconhecidos do público português, e no Rock in Rio-Lisboa deram o maior concerto em solo nacional.

A banda liderada por Dan Smith aproveitou a oportunidade e com uma verdadeira multidão à sua frente apresentou um alinhamento que pareceu agradar aos 71 mil festivaleiros presentes no Parque da Bela Vista (números fornecidos pela organização).

"Pompeii", o hino que os colocou no mapa da pop eletrónica há cinco anos, ficou guardada para o final e não faltaram momentos de comunhão com os admiradores.

Smith não poupou na comunicação com o público, pedindo inicialmente desculpa pelo seu "português de merda". E em inglês perguntou ao o público se estava excitado para ver Muse, a reação foi efusiva, pois claro.

Entre os temas mais conhecidos, o grupo teve ainda tempo para se estender com a "depressiva" "World Gone Mad", gravada para o filme "Bright" e uma "The Currents" dedicada a Donald Trump.

Equipa Noite e Música Magazine no Rock in Rio-Lisboa
Fotos: Eduardo Alberto
Textos e Social Feed: Teresa Pereira
Edição: Nelson Tiago e Jacinta Pinto