Ana Carolina & Seu Jorge ao vivo na MEO Arena, em Lisboa [fotos + texto]


 Ana Carolina & Seu Jorge ao vivo na MEO Arena, em Lisboa [fotos + texto]

Dupla brasileira contagiou a audiência da Meo Arena. Vê como correu o reencontro de Ana Carolina e Seu Jorge com o público português.

O que acontece quando duas vozes poderosas, grandes da música brasileira, se juntam numa sintonia completa? Um grande espetáculo, que contagiou o público que quase encheu a Meo Arena na noite de sexta-feira.

O concerto começou com ritmos bem movimentados, com ambos os artistas de guitarra na mão. Cerca de quinze minutos depois, surgiu, então, a introdução à audiência, com os músicos a expressarem a alegria em tocar para o público português e o amor a este país. Foi após esta primeira integração que surgiu o hit que mais contribuiu para o reconhecimento deste dueto: "É isso aí" a interpretação, em português da música "The Blowers Daughter" de Damien Rice.

Após este tema mais calmo e romântico, quase uma balada, voltou-se a ritmos mais mexidos, com jogos de luzes à mistura. Houve espaço para cada um dos artistas ter momentos a solo e interpretar os seus temas mais conhecidos. Foi-se alternando entre músicas mais calmas, quase baladas, e ritmos tipicamente brasileiros. Ao longo do concerto "Burguesinha" isso foi bastante claro. É difícil ficar sentado e indiferente aos ritmos brasileiros.

A prestação dos artistas foi o que se podia esperar de duas vozes possantes e bem experientes. Se Seu Jorge era possivelmente o nome mais sonante para o público português (o artista ainda este ano esteve em Portugal, no Meo Sudoeste), Ana Carolina demonstrou bem o seu talento. De guitarra ou pandeireta na mão, ou simplesmente só a cantar, o seu carisma e expressividade enquanto atuava eram notórios. A harmonia e cumplicidade entre ambos era tanta que se torna difícil imaginar que se passou uma década desde que tinham feito um projeto similar por terras brasileiras.

Ana Carolina e Seu Jorge seguem para Guimarães, para o segundo e último concerto em Portugal – pelo menos, para já. Esperemos que não volte a passar uma década para que possamos ver esta dupla a atuar em conjunto.

Fotos: Carlos Valadas
Texto: Vera Tavares


,