Karetus em entrevista: "Queremos mudar a música eletrónica"


Karetus em entrevista: "Queremos mudar a música eletrónica"

Estivemos á conversa com Paulo Silva, um dos membros dos Karetus para desvendar o novo trabalho Piñata.

Noite e Música – Quem são os Karetus?
Paulo Silva – São três amantes da música eletrónica, acima de tudo. Dois produtores DJs e um MC. Atenção ao ênfase de produtores DJs e não DJs produtores porque acima de tudo é isso que fazemos. Somos três pessoas que temos um sonho: queremos mudar a música eletrónica para algo que chamamos Full Flavour, não ligando a estilos, ritmos, bpm's e simplesmente fazer e tocar boa musica eletrónica para o público.

NM – Esta semana lançaram o novo single "Castles in the sand" que conta com a participação do Agir. Como surgiu esta colaboração?
PS – Nós fazemos muita coisa com o Agir. Fazemos muita coisa a nível de produção, até para outros artistas. Na nossa opinião ele é um dos melhores produtores de Portugal. Apesar de pertencermos à mesma agência somos muito amigos e trabalhamos muito nesse sentido, de produção.

NM – E como tem sido o feedback que têm recebido do tema?
PS – Muito muito bom. A música é do anúncio do Tamariz deste ano e existiu uma grande procura em saber de quem era o tema, quem é que está a cantar… O feedback do lançamento também foi muito bom e até já passa em algumas rádios… O lançamento do vídeo esta semana ajudou a disparar ainda mais…

NM – Esta música faz parte do vosso novo trabalho Piñata que está a ser desvendado a cada quarta-feira. Falem-nos um pouco deste disco.
PS – O disco tem 18 temas, lá dentro existem 27 estilos diferentes de música (reforça a nossa ideia de Full Flavour), tem 3 idiomas 11 tipos de bpms diferentes, mostra aquela essência que queremos passar às pessoas, aos nossos fãs, aos novos produtores de Portugal e é muito bom ver que há muitos que começam a fugir ao que está na moda, aqueles 128bpms, acabam por se aventurar por outros rumos… Deu-nos muito prazer em fazê-lo e decidimos disponibilizar gratuitamente. Metes numa loja a venda e algumas pessoas compram, disponibilizas para download gratuito e muita gente o vai descarregar e o nosso objetivo é mesmo esse, mostrar o ecletismo e como se pode fazer todos os tipos de música sem estar encadeado numa coisa específica e levá-lo ao maior número de pessoas possível. No dia 4 de agosto estará disponível para download por completo, completamente gratuito.

NM – Como é trabalhar na área da música eletrónica em Portugal?
PS – Não é fácil, mas acho que isso é geral em todos os tipos de música, fazer música em Portugal é complicado. É um país muito pequeno, com 10 milhões de ouvintes e ter uma boa fatia de pessoas a gostar da tua música não é fácil, mas é um excelente desafio. Nunca iríamos fazer nada de outra maneira apesar das nossas armas estarem todas apontadas lá para fora, adoramos Portugal e adoramos estar cá.

NM – Sentem que o vosso trabalho já tem alguma repercussão no estrangeiro?
PS – Sim, a ideia é sempre fazer música em Portugal e manda-la lá para fora. Produzimos também com produtores lá de fora. Cingir-nos apenas a Portugal não seria lógico visto a nossa música ser feita para massas e podemos chegar lá fora porque não temos aquela barreira linguística, não fazemos só musica em português mas a que fazemos também é com muito orgulho. A música que saiu na semana passada é com o … um rap, dentro de um trap inserida dentro de uma música tradicional portuguesa; mais um Full Flavour que fizemos. Mas conseguimos fazer música que abrange um mercado muito maior por isso vamos apontar lá para fora. Em Portugal ainda há aquele estigma do "se eles são bons lá fora, cá são aceites e tornam-se espetaculares". Não é por isso que estamos a apontar lá para fora, apenas estamos a aproveitar-nos do facto de fazermos música que é exportável.

NM – O que podemos esperar dos Karetus nos próximos tempos?
PS – Muita música. Não vamos parar, quando lançarmos o Piñata já temos coisas para um próximo álbum e algumas que serão eventualmente lançadas entretanto. Temos também versões de temas deste álbum com produtores excelentes que também iremos lançar nos próximos tempos… Podem esperar tudo e mais alguma coisa que a gente não vai parar, vamos continuar a dar shows mas não vão parar de sair novidades, vamos fazer muita música…

Entrevista: Bruno Silva


,