Xutos & Pontapés no Coliseu do Porto [fotos + texto]


Xutos & Pontapés no Coliseu do Porto [fotos + texto]

Em noite de paixão, alegria, celebração do amor e sensualidade exuberada, os Xutos & Pontapés serviram de música de fundo ao imaginário de uma casa cheia, no Coliseu do Porto.

Num registo completamente diferente do habitual, a banda de rock portuguesa arrancou de forma doce, com músicas capazes de derreter o coração até daqueles que se opõem à data. "Chuva Dissolvente" foi a primeira, seguida de "Há Qualquer Coisa" do álbum XIII e "Nós Dois", do disco 88.

A banda mostrou-se visivelmente agradada pela euforia com que foi recebida pelo público, que os acompanhou nas cantorias do princípio ao fim de cada canção. "Hoje é uma noite muito especial e estamos cá para cantar muitas canções de amor", salientou Tim.

Em jeito de sussurro, os Xutos & Pontapés deixaram os presentes desconcertados ao pedir que lhe contassem histórias daquilo que não viram, com a canção "Conta-me Histórias" do segundo álbum da banda – Cerco, de 1985. As trocas de olhares e o entoar baixinho da música tornaram a noite numa deliciosa viagem de cumplicidade entre os casais presentes, que se uniam num elance apertado.

"De Madrugada (Tu & Eu)", "Da Nação", "Um Deus" e "Se Me Amas" foram algumas das canções selecionadas para o espetáculo da banda que atuava  no Porto, enquanto outras sete cidades portuguesas recebiam inúmeros artistas de renome, sob a alçada do mesmo evento, "Às Vezes o Amor".

E como as emoções devem ser repartidas por todos, mesmo quem não trazia o seu par, pôde-se deliciar com os grandes êxitos do grupo de rock, guardados para o final. Com a sala iluminada em tons de cor de laranja, "Homem do Leme", "Circo de Feras", "Aí Se Ele Cai" e "Para Ti Maria" também marcaram presença num espetáculo organizado de coração para vários corações. "Contentores" foi a mais entusiástica e pôs a multidão aos saltos. Já "Minha Casinha", começou sem melodia, para que se pudesse ouvir a voz do público e foi a mesma que encerrou a noite romântica da cidade do Porto.

Fotos: António Teixeira
Texto: Magda Santos


,