Vodafone Paredes de Coura: reportagem do 4º dia, com Echo & The Bunnymen e Horrors


echo&thebunnymenparedescoura

Dia 16 de agosto marca o penúltimo dia deste grande Festival, ao qual deve perentoriamente ser uma passagem relevante pela circuito festivaleiro nacional, por aqui ser possível ouvir as principais bandas em ascensão do momento! Hoje passarão por Paredes de Coura nomes relevantes como The Honors, Echo and the Bunnymen, Simian Mobile Disco, Peace, The Glockenwise, Citizens!, entre outros – sem esquecer de M3 no Palco Jazz na Relva!

Pelas 19:15 os londrinos Citizens! apresentaram o seu álbum de estreia "Here We Are" que conta com a produção de Alex Kapranos dos Franz Ferdinand e edição ao cargo de Kitsuné. As batidas viciantes de "Love You More", os singles "True Romance", "Reptile" e "Caroline" são algumas das surpreendestes faixas do quinteto, que fazem relembrar as batidas de David Bowie, numa fascinante redescoberta constante. O concerto decorreu cheio de descontração e com uma boa pitada de glamour fruto da segurança que apresentaram na sua estreia em solo português.

No Palco principal brilharam os britânicos Peace, formados em Worcester. Inauguraram com a música "Higher Than The Sun". "Are you doing? Are you feeling good?" – Dialoga Harry Koisser à audiência, com a voz que presta a este fantástico projeto. O espetáculo seguiu com músicas de influências indie rock, dançantes como "Bloddshake" ("from the valley of the jungle…"), "Lovesick", "Wraith" e muitas mais. No final, fica a sensação de ter valido a pena pelo número visível de admiradores que agora conquistaram pelas terras lusas.

Á hora prometida pelo cartaz oficial sobe ao palco os The Horrors pelas 21:35. Os 5 elementos da banda formada em Southend brindaram com influências mescladas de punk rock, rock gótico e horror punk. Os fãs mais assíduos marcaram lugar em frente ao palco, provocando uma onde de emoções fortes e alguns choros de algumas admiradoras que chamavam incessantemente pelo nome de Farris Rotter (vocalista) e de Joshua Third (guitarrista)! Com um estilo muito próprio os The Horrors vão ascendendo no panorama artístico, contando com 3 álbuns originais: "Strange House  (2007), "Primary Colors" (2009) e "Skying" (2011).

Recinto cheio a aguardar a entrada de Echo and the Bunnymen pelas 23:05 em mais um regresso a Portugal. O público gritava "Echo!Echo!Echo!…" fazendo-se ouvir. O conjunto que substituiu os The Kills no cartaz apresentou alguns hits mais conhecidos da banda como "Lips Like Sugar", "Nothing Lasts Forever", "Walk on the Wild Side", "The Killing Moon" com direito a encore. A banda formada em 1978 conta com 14 álbuns e nem por isso conseguiu entusiasmar o público que mostrou-se arrefecido durante mais de 1 hora de espetáculo. Nem a interação de McCulloch foi eficaz, tal eram os sussurros entre canções quase impercetíveis.

00:50 era hora de Dj set com uma banda inglesa a fechar o palco principal. Os Simian Mobile Disco agitaram euforicamente Paredes de Coura! James Ford e Jas Shaw estiveram dispostos frente a frente no seu "laboratório eletrónico musical", sem qualquer expressão facial e executando as delícias de todos com batidas agressivas alternadas por momentos de menos tensão. O set de luzes era vibrante e empolgante, com uma curiosa gama cromática de tons díspares e um piscar que fluía com os batimentos eletrónicos.

Mais um dia cumprido em Paredes de Coura. A ansiedade já paira no ar com a chegada amanhã do leque de bandas que irá concluir mais uma edição de 2013.

Fotos: Carina Guilherme
Texto: Rita Costa


,