Vodafone Paredes de Coura: reportagem do 3º dia, com The Knife e Hot Chip


theknifeparedescoura

Estamos no 3º dia do Festival de Paredes de Coura e numa apreciação geral, tem causado rendição por parte dos seus amantes, superando em larga escala as expectativas aguardadas para este ano.

Uma das bandas mais promissoras e esperadas foram os britânicos Everything Everything, a quem coube um pré-aquecimento no Warm Up Paredes de Coura, realizado na cidade Invicta no dia 12 de abril. "Cough Cough", o primeiro single do segundo álbum "Arc" abriu em grande força a performance com o público que foi correspondendo em massa e descendo a colina enrelvada do anfiteatro natural do Taboão, em busca de um lugar privilegiado para assistir aos sons alternativos pop/rock.

Os Veronica Falls atuaram às 19:15 após um curto pré-ensaio de. Dos 4 elementos Roxanne Clifford sobressai com a sua voz melosa juntamente com a de James Hoare. A Banda londrina, formada em 2009 teve uma audiência dedicada e exclusiva.

Estava na hora de apreciar os australianos Jagwar Ma que no palco principal Vodafone dão-se a conhecer numa panóplia de ritmos indie rock com apontamentos eletrónicos – "Hi, we are Jaguar ma! Obrigado!". No seu repertório contam com um álbum gravado em estúdio "Howlin". Dançantes e sempre interventivos, levam Gabriel Winterfield a ir à frente do palco para pular juntamente com a audiência! Foi a loucura!

Ainda o palco secundário estava acalorado pela anterior atuação, quando era hora de desfrutarmos dos Toy, um quinteto londrino aclamado pelo "Guardian" e pelo "New Musical Express" como excelentes e promissores. No palco Vodafone.FM do Paredes de Coura presentearam as músicas do seu único álbum "Toy", editado em 2012.

Com a noite a entrar eis que é hora de The Vacinnes pelas 21:20 no palco principal. Quase lotação esgotada para assistirem à qualidade do quarteto formado em 2010 na capital inglesa. "Blow it up" foi o tema que serviu de cartão de visita para os festivaleiros e a legião de fãs que os acompanhou fielmente vibrou até ao fim do show!

A banda Little Boots conta com a voz inconfundível de Victoria Christina Hesketh, uma artista que para além do canto, dedica-se à produção e composição dos seus temas. A onda electropop é claramente evidente, fazendo relembrar o auge musical dos anos 80. "Nocturnes" é o nome do álbum mais recente, que com batidas viciantes trouxe inovação a este palco.

Os Hot Chip trouxeram à memória algumas bandas inconfundíveis do panorama artístico dos anos 80 como é o caso dos Human League ou os New Order, atualizados para o século XXI. A música "How do you do" do último álbum editado em 2012 "In Our Heads" abriu a atuação às 22:50.

A última banda que fechou o cartaz desta quinta-feira com dança e muitas batidas eletrónicas foram os suecos The Knife que presentearam o público com um aquecimento de alguns minutos que mais se assemelhou a uma aula de ginástica ao ar! "The Knife is about to came out" – referiu o animador que liderou o aquecimento, trajado de maneira exuberante e bizarra. Abrem a atuação com vestes de monge e uma maquilhagem artística nos seus rostos, tocando diversos instrumentos musicais pouco convencionais. Durante o desenrolar da performance retiram os trajes monásticos e com fatos de ginástica iguais o grupo apresenta números dançantes com puras batidas!

Fotos: Carina Guilherme
Texto: Rita Costa


,