Vodafone Mexefest: dia 1, com Jagwar Ma, Céu, NAO e Talib Kweli


Vodafone Mexefest: dia 1, com Jagwar Ma, Céu, NAO e Talib Kweli

A sétima edição do Vodafone Mexefest começou na noite passada com Talib Kweli, NAO, Céu, Jagwar Ma e muitos outros artistas que fizeram mexer a Avenida da Liberdade. Sabe como correu a primeira noite de concertos.

As novidades deste ano são muitas. Para começar duas novas salas, o Cine-Teatro Capitólio e o sótão do Tivoli BBVA, foram acrescentadas ao itinerário do festival. Jorge Palma foi o primeiro convidado surpresa, com hora e localização anunciadas apenas ontem à tarde, para um pequeno concerto aberto ao público. Vodafone Cuckoo e Vodafone Vozes da Escrita foram as duas outras novidades que preencheram a noite de ontem. E como de costume, o movimento pela Avenida foi animado, desta vez pela mão dos Kumpania Algazarra que subiam e desciam sempre rodeados de pessoas que se iam juntando à festa. Também na rua, as habituais boleias e viagens de autocarro, ontem com a presença de Fugly, continuaram acompanhadas de chocolate quente e muita animação.

Eram 19h45 quando, na onda psicadélica que lhe é característico, Acid Acid, o projeto de Tiago Castro abriu a sala Montepio no São Jorge. Acompanhado de guitarra, pedais e sintetizadores, Tiago trouxe ainda a companhia da flauta. Em tom abstrato, os dois músicos tentaram obter a atenção de um público ainda irrequieto com a sala Montepio a meio gás. Um pouco mais tarde, também a estrear uma sala no São Jorge, desta vez a sala Manoel de Oliveira, esteve o trio britânico The Invisible, liderado por Dave Okumu.

Acid Acid

The Invisible

Bruno Pernadas foi o primeiro artista a pisar o palco do teatro Tivoli BBVA para esta sétima edição do Vodafone Mexefest. A começar com "Spaceway 70" e com passagens em "Ahhhhh" e "Problem Number 6", o projeto foi recebido de braços abertos pelo público que preencheu a lotação do Teatro Tivoli e aplaudiu efusivamente os temas do português. Bruno fez-se acompanhar por grandes músicos, entre eles Margarida Campelo e Francisca Cortesão, numa onda mais jazzy que em nada destoou neste festival.

Bruno Pernadas

Depois de Mike El Nite e Nerve, foi a vez de Talib Kweli pisar o palco de um dos novos espaços do festival. O rapper norte-americano esgotou a lotação do Capitólio para celebrar o hip-hop: "I am from Brooklyn but I represent the whole world through hip-hop", disse. O rapper trouxe a Lisboa um dj, convidados especiais e, principalmente, muita energia para oferecer ao público português. "Listen!!!" e "Never Been In Love Before" foram dois dos temas que os fãs deste género musical presenciaram embora sem grande entusiasmo.

Talib Kweli

A estrear o palco do Coliseu dos Recreios esteve NAO, a cantora britânica que lançou o seu álbum de estreia em julho deste ano, For All We Know. Acompanhada pela sua banda (guitarra, bateria, baixo e teclado), NAO impressionou o público com os seus dotes vocais e com uma incrível presença em palco. Temas dançantes como "Adore You", "In The Morning", "Inhale Exhale" ou "Get To Know Ya" preencheram os cinquenta minutos de concerto da cantora perante a plateia composta e efusiva do Coliseu.

Voltando ao São Jorge, agora novamente na sala Manoel de Oliveira, encontrámos Céu. A cantora brasileira, que conta já com cinco álbuns na discografia, fez-se acompanhar de uma banda simples mas dotada para cerca de cinquenta minutos de bossa nova e boa onda. O público, que ao longo do primeiro dia de festival se manteve muito ativo, levantou-se das cadeiras para dançar com Céu ao som de canções como "Amor Pixelado", "Gains De Beauté" e "Minhas Bics", encerrando assim o São Jorge.

Céu

Por volta da uma da manhã, o público do festival reuniu-se no Coliseu dos Recreios para receber Jagwar Ma que deram por terminado o primeiro dia do Vodafone Mexefest. Mas antes da entrada em palco dos australianos, e com algum atraso nas horas, o icónico Carlão surpreendeu a audiência para falar sobre sexo e cocaína lendo "O Princípio De Uma Boa Queca" em tom obsceno num momento Vodafone Vozes da Escrita.

Após algumas risadas do público, e para animar este final de noite, entraram em palco os Jagwar Ma. O trio australiano composto por Gabriel Winterfield, Jono Ma e Jack Freeman, fez saltar e cantar o Coliseu com a mistura de psicadelismo e eletrónica fazendo até lembrar o techno em certas alturas. A energia dos três músicos refletiu-se diretamente na do público que não demonstrava cansaço. "Gimme A Reason" e "OB1" foram os momentos altos da incrível performance.

Jagwar Ma

Dado por terminado o primeiro dia, hoje a Vodafone volta a pintar a Avenida de vermelho. Espera-nos Mallu Magalhães, Digable Planets, Sara Tavares, Gallant e muitos outros artistas com a promessa de mexer com a capital portuguesa.

Equipa Noite e Música Magazine no Vodafone Mexefest
Fotos: Alexandre Paixão
Textos: Maria Roldão
Edição: Nelson Tiago


,