Um concerto que se prolonga no tempo e um Primavera rendido a Nick Cave - Noite e Música Magazine

Um concerto que se prolonga no tempo e um Primavera rendido a Nick Cave


Um concerto que se prolonga no tempo e um Primavera rendido a Nick Cave

Irreverente e teatral são adjetivos que colamos facilmente a Nick Cave mas impressionante seria o mais fiel para adjetivar o concerto deste último dia de NOS Primavera Sound. Durante mais de uma hora, o artista australiano mostrou que os seus 60 anos são apenas números quando se fala da energia que transporta e partilha.

Nick Cave and The Bad Seeds atuaram sob chuva intensa mas não foi por isso que o vocalista demorou menos nas suas canções que parecem prolongar-se no tempo. Uma performance teatral, como é de resto comum, que impressionou os milhares de resistentes à chuva que pararam no Palco NOS para ver esta banda que já conta com mais de 30 anos de história.

Foi com "Jesus Alone" que o artista deu início a esta longa e intensa viagem que foi a sua passagem pelo Primavera Sound. Ninguém ficou indiferente à entrega de Nick Cave neste concerto. Não sabemos se o público chorou com a verdade das letras de Nick porque a chuva não permitia distinguir a água no rosto, mas a verdade é que a energia da banda se sentiu de longe.

"Do You Love Me" foi a primeira a arrancar mais reações da plateia mas foi com "Into My Arms" e com o artista ao piano que o público cantou o conhecido refrão. Também com Nick Cave ao piano, ouviu-se a icónica "From Her to Eternity", tema de 1987.

Durante a performance de Nick Cave e dos seus Bad Seeds não faltaram também as conhecidas "Loverman", "Red Right Hand" e "Girl In Amber". "Jubilee Street" não faltou ao alinhamento e chegou com um intensidade que fez Nick Cave atirar o microfone para o chão quando se dirigiu ao piano. Mas já com o microfone de volta à mão do artista, o Parque da Cidade pode disfrutar de "Weeping Song" e participou com palmas bem sincronizadas por Nick Cave.

Já na reta final e cada vez com mais chuva, "Stagger Lee" surgiu com a provocação que lhe é natural mas foi "Push The Sky Away” a escolhida para encerrar este concerto algo alucinante e afirmadamente desconcertante.

Um espetáculo notável de Nick Cave e dos seus Bad Seeds que, apesar de longo, deixou o público rendido e certamente a pedir por mais.

Não foi permitida a captação profissional de imagens à equipa de reportagem da Noite e Música Magazine.

Equipa Noite e Música Magazine no NOS Primavera Sound
Fotos: Júlia Oliveira
Textos e Social Feed: Daniela Fonseca
Edição: Nelson Tiago e António Teixeira