Supernada @ Centro Cultural de Ílhavo


No passado dia 25 de janeiro, o Centro Cultural de Ílhavo recebeu uma das grandes bandas nacionais, Supernada! Não se sabe exatamente o motivo que levou o espaço a não ficar completo, ficando a faltar quase metade das cadeiras por preencher, porém os presentes fizeram questão de mostrar o apreço e a qualidade musical que a banda por ali vinha demonstrar.

Nos primeiros minutos, assim que as luzes se apagaram, o silêncio imediatamente se instalou, sendo apenas interrompido pela chegada ao palco da banda, com o seu incontornável líder Manel Cruz a ser a grande figura do momento e que mais tarde se percebia que seria de toda a noite.

O espetáculo começou relativamente tímido, pouco intenso, o que por momentos despertou algum desconforto nos fãs mais ávidos, porém rapidamente a promessa de um grande espetáculo se fez ouvir com o abuso das baterias, das batidas aleatórias e improvisadas e ainda da personificação de cada tema no corpo de Manel Cruz que se denotava a cada nota musical.

O espetáculo avançou, a energia apareceu e a banda começou a ficar ao seu melhor estilo, passando por "Espuma", "Manhã de Cinzas", "Estética da Ética" e "Isto não é nada", o público ia seguindo ao pormenor todos os temas, recebendo sempre uma chuvada de palmas no fim de cada um.

Com o avanço para o final do espetáculo, os jovens e fãs que se encontravam sentados junto ao palco, rapidamente se mexiam energicamente na expectativa de ter algum tipo de contacto com a banda, nomeadamente com o seu vocalista energético Manel Cruz. Um desses jovens acabou por ter a sorte de chegar ao palco, ver o seu bilhete autografado e outra jovem de tenra idade acabou mesmo por tirar uma fotografia durante o espetáculo com o mesmo.

Com a chegada ao fim, a banda agradece todo o acolhimento do público, toda a energia e acima de tudo a presença de metade da sala. Saíram do palco mas foram ovacionados de pé, com uma chuvada de palmas e pés a bater no chão na expectativa de um encore especial. Depois da banda regressar, foi possível fazer uma espécie de viagem cronológica pela história da banda, com "Nova Estrela", "Invisível Mundo", "Sol Vermelho" e "Tudo Importa".

Alinhamento:
Quando tu me entregas
Nada de Deus
Ovo de Silêncio
Passar à volta
Espuma
Manhã de Cinzas
Estética da Ética
Isto não é nada
Lábios morrem quentes
Perigo de explosão
Animais à solta
O meu livro
Lobos da Noite
Arte quis ser vida
Sonho de Pedra
Pai Natal
Anedota
Encore:
Nova Estrela
Invisível Mundo
Sol Vermelho
Tudo Importa

Fotos: Ana Martelo
Texto: Arminda Esgueirão


,