Shawn Mendes na MEO Arena: do Talentoso ao Épico, uma noite Iluminada [fotos + texto]


Shawn Mendes na MEO Arena: do Talentoso ao Épico, uma noite Iluminada [fotos + texto]

Luso-canadiano esgotou a MEO Arena para desfilar os temas que compõem o seu segundo álbum de estúdio Illuminate.

Num palco montado com um globo azul multicolor que enormemente centraliza o espaço ao meio da arena, por baixo havia a mesa de mistura de som e atrás a família do cantor que estava sentada ansiosamente em zona privilegiada para verem o seu pupilo que abrilhantou uma noite carregada de uma sintonia muito emotiva com os fãs. Não deram a enganar e foram facilmente reconhecidos. Foi aliás um momento muito especial por cantar e encantar no país do seu pai, tendo saído daqui como uma estrela rock praticamente consagrada.

Shawn Mendes

Multifacetado e de um talento muito precoce, conferem aos seus 18 anos uma invejável maneira de apresentação em palco e dotes que fazem lembrar algumas de suas maiores influências como são Justin Timberlake e Bruno Mars, sem descortinar a parte melódica que tanto lembra o seu conterrâneo Bryan Adams com um requinte de John Mayer na sua competência enquanto músico de acordes soltos e relaxantes.

Os fãs sempre contribuíram com entusiasmo e entoavam cânticos de algumas das suas músicas, perfilando uma atmosfera maravilhosa que tampouco deixariam o jovem sentir-se só em que momento fosse. Impossível! Com a sua tão aguardada entrada de palco ao som de "There's Nothing Holdin' Me Back", juntaram-se gritos e alegrias contidas que tiveram de ser libertadas, com uma bonita luminotécnica na tela de fundo que foram componente de toda a atuação. Os mais variados cenários foram acompanhando, desde raios azulados e formas em espiral, até claro a sets de filmagens próprios do cantor, feitos especialmente para a tour.

Ao som de "Stitches", single do 1º álbum Handwritten, imponentes cartazes com mensagens de carinho eram levantados. Noutras partes do concerto, Shawn deu uma tímida pausa à guitarra e abraçou o piano de cauda em "Life Of The Party", parecendo que estava a tocar no espaço rodeado de estrelas e planetas para todos nós. Numa maturidade invejável, estivemos perante um rapaz seguro e voz mais do que colocada, tornando-o num "fora de série" da sua geração e além dela.

Percorreu a noite livremente mostrando dotes de instrumentista, de ídolo que bastava estender o braço e era em histeria correspondido do lado da plateia, ao menino doce que tal como disse compôs canções no seu quarto por ser uma maneira de exprimir temas da sua vida.

O público alvo era largamente adolescente, mas nem por isso alguns adultos que os acompanhavam, deixaram de dar um pezinho de dança e mesmo trautear as suas músicas, prova do talentoso génio musical que acabará por atravessar várias gerações.

Sem deixar para trás os hits "Mercy" e "Treat You Better", como se numa máquina do tempo entrássemos, éramos rapidamente catapultados para a parte final. Milhares de telemóveis foram sempre parte integrante do espetáculo. No encore, em vez de gritos ouviu-se o nome do nosso país entoado pelos quase 10 mil fãs. Oportunidade para Shawn Mendes arquear a bandeira de Portugal e colocá-la nas suas costas, saindo do palco como um herói que recolheu tanto carinho e entusiasmo pelos fãs, apelidando-os de "fantásticos".

O britânico James TW foi o responsável pela abertura desta grande noite. Em palco, recebeu uma rosa atirada da plateia a seus pés, puxou por palmas e o público correspondeu. Com temas próprios e alguns covers, o artista transmitiu mensagens importantes em relação aos aspectos da índole humana.

James TW

Fotos: Rui Jorge Oliveira
Texto: Rita Costa


,