Royal Blood no Coliseu dos Recreios, Lisboa: com 2 membros se faz a máquina perfeita


Royal Blood no Coliseu dos Recreios, Lisboa: com 2 membros se faz a máquina perfeita

Duo britânico deixa Lisboa com nota máxima. Os Royal Blood conquistaram a capital.

Os britânicos Royal Blood tinham a sua estreia marcada para o dia 22 de novembro do ano passado. O concerto foi adiado, por motivos de saúde e a procura pelos bilhetes fez com que o Armazém F não tivesse espaço suficiente para receber tantos admiradores da banda. A 2 de abril aterraram finalmente no Coliseu dos Recreios para apresentar o seu primeiro trabalho.

Os seus compatriotas Bad Breeding apesar de ainda não terem nenhum trabalho editado foram os convocados para a primeira parte. Entraram e saíram de cena sem qualquer palavra mas durante 28 minutos apresentaram de forma eficaz alguns dos seus temas. "Chains" e "Age of Nothing" foram bastante bem recebidas mas o público estava a guardar-se para os anfitriões da noite.

Mike Kerr (vocalista e baixista) e Ben Thatcher (baterista) entram em palco acompanhados de um mar de ovações e aplausos. "Hole" foi o tema escolhido para abrir o concerto e a receção do público foi arrasadora. No ar sentia-se que se iria fazer história na sala de espetáculos mais histórica de lisboa. Ainda Kerr soltava os primeiros acordes já toda a plateia estava eufórica com "Come On Over" e foi este o clima que se manteve por 60 minutos.

Sem tempos mortos, o público ovacionava os Royal Blood entre cada música. Do público eram descritos como "duas máquinas". E essas duas máquinas geraram um produto destrutivo. O rock está bem vivo e os riffs da banda despertaram o público de uma forma fácil e natural.

Apesar de não recorrerem a grandes falas os britânicos mostraram frequentemente uma vontade de estar junto do público. Thatcher recolhe uma bandeira da primeira fila e volta à sua bateria para ajudar a protagonizar mais um momento extasiante; "Little Monsters".

Esta foi a última noite da tour e, segundo Kerr, a melhor. O vocalista apresenta o seu parceiro de palco como "meio homem, meio touro, meio louco" e do público soltam-se algumas vénias ao músico.

Em modo crescente e sem encore, os Royal Blood desafiaram a estrutura do coliseu com as deliciosas "Loose Change" e "Out Of The Black" (primeiro single) que fizeram estremecer a arena e marcar o ponto final deste primeiro espetáculo duas máquinas.

Os Royal Blood que já receberam elogios de grandes nomes como Jimmy Page e Matt Helders pisaram o solo português para apresentar o forte e cru álbum de estreia, numa noite memorável. Agora vamos aguardar com expetativa o que a banda nos brindará no futuro. Portugal já tem Royal Blood nas veias.

Alinhamento
Hole
Come on Over
You Can Be So Cruel
Figure It Out
Better Strangers
Little Monster
Blood Hands
One Trick Poney
Careless
Ten Tonne Skeleton
Loose Change
Out of the Black

Texto: Miguel Silva


,