Roger Waters ao vivo na Altice Arena: Nós + Ele - Noite e Música Magazine

Roger Waters ao vivo na Altice Arena: Nós + Ele


Roger Waters ao vivo na Altice Arena: Nós + Ele

A digressão Us + Them do icónico Roger Waters passou na noite de ontem pela Altice Arena para a primeira de duas noites de espetáculo. O antigo baixista dos Pink Floyd está na capital portuguesa para apresentar temas da sua antiga banda e que depois de décadas continuam a fazer a alegria de diferentes gerações.

Do álbum Dark Side Of The Moon (o do inesquecível prisma ótico), "Us And Them" é o tema de 1973 que dá título à digressão do baixista e vocalista dos icónicos Pink Floyd, Roger Waters. Esteve em Portugal pela última vez em 2011 e regressou na noite de ontem, aos 74 anos, para recordar álbuns como Dark Side Of The Moon, Animals ou Wish You Were Here.

Pouco passava das 21h quando, sem discursos ou apresentações, soaram os primeiros acordes de "Breathe": assim se instalou a típica euforia no público que esgotou a Altice Arena. Som 360⁰, exuberantes efeitos sonoros e visuais, imagens alusivas ao psicadelismo num enorme ecrã e uma virtuosa banda confirmaram a elevada expectativa para a noite, como se a memória do The Wall Live não bastasse.

"Time", "The Great Gig In The Sky" e "Welcome To The Machine" deram seguimento ao espetáculo. Não faltou "Another Brick In The Wall", clássico que se fez acompanhar de uma coreografia executada por 12 crianças portuguesas, nem "Money", por sua vez acompanhado de imagens de carácter político.

E porque a idade já pesa, o septuagenário anunciou um intervalo de 20 minutos e, no regresso, surpreendeu o público português com o aparecimento no centro da arena de uma enorme projeção da central termoeléctrica ilustrada na capa do álbum de 1977 Animals. Desaparecida a fábrica, lasers e um complexo sistema de luz formaram sobre as cabeças da audiência o prisma ótico de Dark Side Of The Moon, pasmando mais uma vez o público.

O teor crítico e político nos temas de Pink Floyd não é novidade, mas novidade foi a forma como o cantor ilustrou as canções sendo Donald Trump o alvo de maior crítica desta digressão. E em jeito de manifesto anti-Trump esteve o tema "Pigs: Three Different Ones", do álbum Animals, acompanhado de imagens ao estilo de Wharol que ridicularizam a figura do líder norte-americano. E para terminar o tema, surgiu nos ecrãs a frase "O Trump é um porco" (ipsis verbis).

Antes das despedidas, Roger Waters teve ainda tempo para uma breve passagem pelo mais recente álbum de originais, Is This The Life We Really Want?, com baladas como "Wait For Her". Dirigindo-se pela primeira vez à audiência, o baixista reforçou o carácter político do espetáculo apelando ao amor e união e reforçando o pedido de "resistência" (resist!) que de forma mais ou menos subtil imperou no palco.

Não faltaram os solos de guitarra, as referências políticas, a imagética psicadélica e muito menos faltou o calor da audiência portuguesa que na noite passada se reuniu na capital para presenciar duas horas e meia de concerto que ficarão para a história. "Comfortably Numb" foi a banda sonora da saída de palco do baixista que encantou Lisboa com a primeira de duas incríveis noites de espetáculo. A digressão mundial Us + Them continua ainda esta noite em Lisboa, ruma para Madrid e apenas terminará no final de agosto na Rússia.

Foto Roger Waters: Altice Arena
Texto: Maria Roldão

Não foi permitida a captação profissional de imagens à equipa de reportagem da Noite e Música Magazine.