Rock in Rio Lisboa: reportagem do 5º dia, com Justin Timberlake e Jessie J


Rock in Rio Lisboa: reportagem do 5º dia, com Justin Timberlake e Jessie J

Kika, João Pedro Pais com Jorge Palma, Mac Miller, Jessie J e Justin Timberlake foram os nomes que tinham como missão encerrar a festa da edição de 2014 do Rock in Rio Lisboa. Aproximadamente 80 mil pessoas marcaram presença na Bela Vista.

Neste dia a festa no palco Mundo começou mais cedo… Kika, a adolescente sensação, voz do Hino de apoio à seleção nacional neste mundial, entra no maior palco do festival pelas 17h30 para apresentar Alive (o seu primeiro trabalho produzido por RedOne). "Guess It's Alright" foi o tema que atirou a tímida jovem para a fama e fez despertar as vozes daqueles que já se encontravam no palco Mundo (enquanto a grande maioria explorava as diversões da cidade do rock). O curto espetáculo encerra com um cover dos Jackson 5; "I Want You Back" soltando passos de dança por todo o recinto.

Um pouco depois da hora marcada João Pedro Pais entra na festa com "Fora do Vulgar", mas foi com os êxitos "Um Volto Já", "Não Há", "Havemos de Lá Chegar" e "Ninguém é de Ninguém" que conseguiu transformar o recinto num karaoke gigante. O palco foi partilhado com o eterno homem "Frágil" (Jorge Palma) que entrou com aquele que possivelmente é o seu maior êxito, mas partilhou também "Estás à Espera de Quê" e "Encosta-te a Mim". João Pedro Pais encerra a festa ao som de "Mentira" e "Nada de Nada".

O rapper norte-americano Mac Miller era desconhecido do grande público que se encontrava na Bela Vista. Contudo o espírito era de festa e a cidade do rock rapidamente se transformou numa grande festa de hip-hop. Com apenas 22 anos o jovem teve a tarefa de substituir Nile Rodgers e os Chic que cancelaram a presença umas semanas antes do evento arrancar. Mac Miller rapidamente agarrou o público e admitiu que também tinha grandes expetativas com o concerto de Justin Timberlake e que estava entusiasmado em poder assistir.

A britânica Jessie J era um dos momentos mais esperados da noite. Pelas duas da manhã já haviam fãs acampados à porta do recinto para a ver de perto.

A cantora começou a dar nas vistas por escrever canções para artistas como a Rihanna, Miley Cyrus e Justin Timberlake. Como artista tem um leque variado de sonoridades; pop, R n'B, Hip-Hop entre outros. Com um estilo mais roqueiro entra em palco vestida de "Sexy Lady" e em "Domino" ja tinha o público na palma da mão. Com uma energia contagiante a incansável Jessie J apela com uma mistura de "Calling All Hearts" com "Treasure" (de Bruno Mars) e convida o público para a sua festa com "It's My Party". Com a nunca editada "Sweet Talker" a britânica mostra toda a potencialidade da sua voz e que consegue prender a atenção do público não só com músicas conhecidas ou festivas. Após o momento alto originado pela sequência "Wild" e "Laserlight" chega o momento em que a cantora mostra toda a sua humildade: desce ao público, canta para um fã (que se desfaz em lágrimas), abraça os seguranças enquanto faz ecoar "Who You Are". É chegado o momento mais Hip-Hop do espetáculo e, com "Excuse My Rude" Jessie encarna uma durona que distribui autógrafos pelo público, tira selfies com o telemóvel dos fãs, volta a meter-se com os seguranças e prepara as 80 mil pessoas que tinha pela frente para "Price Tag", fazendo jus ao verso "Just wanna make the world dance". Comovida e de forma sempre humilde, Jessie J afirma nunca ter estado perante um público tão envolvido num espetáculo, espetáculo que impressionou tudo e todos e fez um brilhante aquecimento para Justin Timberlake.

Ex-membro dos N'Sync, Justin Timberlake foi o primeiro nome anunciado para esta edição do Rock in Rio e tinha como tarefa meter o ponto final no festival. Com 33 anos, o americano pisa pela primeira vez um palco português. A loucura estava instaurada quando, poucos minutos após a hora marcada começa a passar nas telas o vídeo de introdução da tour The 20/20 Experience World Tour e, com "Pusher Love" o cantor e ator dá início ao concerto acompanhado da sua banda: os Tennessee Kids. O espetáculo anunciava-se cheio de glamour, em palco de forma sempre coreografada deambulam roupas de gala. Cada pormenor é pensado o que transformar o concerto numa autêntica peça de arte. O reportório faz com que o público do sexo feminino delire com os passos de dança do sex-symbol mas mete também o público masculino no mínimo a bater o pé. "Rock Your Body" comprova isso. Justin é considerado um dos mais poderosos nomes da música e a prova está diante dos nossos olhos: uma voz irrepreensível, um enorme talento para a dança, um autêntico entertainer, tudo o que faz vira sucesso. Sem momentos fracos o alinhamento não mostrou apenas as 2 partes de The 20/20 Experience, relembrou os grandes clássicos como "Cry Me a River" e "Señorita", grande parte do FutureSex/LoveSound, mas houve também tempo para encorparam Elvis Presley com "HeartBreak Hotel" e Michael Jackson com "Human Nature". "What Goes Around" foi iniciado de forma intimista com 80 mil pessoas a cantar cada palavra do tema. É chegada a hora de recompor o fato e colocar o laço, chamar o corpo de bailarinos e mostrar "Suit & Tie", "Sexyback" e, com "Mirrors" encerrar a primeira passagem do americano por terras lusas e o último dia do Rock in Rio.

E chega ao fim aquele que foi o último dia da edição comemorativa do 10º aniversário do Rock in Rio Lisboa que atraiu aproximadamente 80 mil pessoas para assistir ao desfile de estrelas que passaram pelo palco da cidade do Rock. Jessie J afirmou-se como um nome muito promissor e que irá escrever muitas páginas na indústria musical e Justin Timberlake matou a ansiedade que os fãs tinham após tantos anos de espera para verem o pop-star ao vivo. E iniciamos assim a contagem decrescente para a próxima edição do Rock in Rio Lisboa; em 2016.

Fotos: João Paulo Wadhoomall/Agência Porto
Texto: Bruno Silva


,