Rock in Rio-Lisboa: Katy Perry e a sua tentativa de dizer "Quente e Frio" na língua do bisavô


Rock in Rio-Lisboa: Katy Perry e a sua tentativa de dizer "Quente e Frio" na língua do bisavô

A cantora norte-americana encerrou o Palco Mundo com um desfile de hits.

Há sete anos que Katy Perry não visitava Portugal, a pátria do seu bisavô. Perguntando-se a si mesma o porquê de vir para terras lusitanas há tanto tempo.

Katy Perry surgiu em palco como uma espécie de cyborg dourada em que interpretou "Witness", "Roulette" e "Dark Horse".

Ladeada por flamingos gigantes (em "Hot N Cold"), ou na companhia de um Left Shark, um tubarão de peluche gigante celebrizado no Super Bowl (em "California Girls").

O regresso aos tempos de glória surgiu com "I Kissed A Girl", o primeiro grande existo de Perry que foi interpretado com a bandeira gay, fazendo menção ao mês do "Pride".

O alinhamento seguiu com "Bon Appetit", "Dejá Vu", "ET", "Into My Eyes You See" e "Wide Awake". Antes do final pode-se ainda ouvir "Swish Swish", "Roar" e "Pendulum". "Fireworks" encerrou o concerto e o Palco Mundo da cidade do rock.

Equipa Noite e Música Magazine no Rock in Rio-Lisboa
Fotos: Eduardo Alberto
Textos e Social Feed: Teresa Pereira
Edição: Nelson Tiago e Jacinta Pinto