Peter Murphy ao vivo na Casa da Música, no Porto [fotos + texto]


Peter Murphy ao vivo na Casa da Música, no Porto [fotos + texto]

Perante uma lotada Sala Suggia da Casa da Música, Peter Murphy dá um concerto teatral, íntimo e memorável.

Peter Murphy sobe ao palco e abre o concerto com "Cascade" e "Indigo Eyes" com o seu baixista a tocar violino elétrico. O público parecia estar a gostar do à vontade do artista que com gestos largos e movimento por todo o palco interpretava "All Night Long". Mas Murphy já não é novo, enquanto canta o poema favorito de Marlene Dietrich's , senta-se e dá início à parte mais intimista do concerto.

A flor que tinha atada ao braço, atira-a ao público. Houve espaço ainda para recordar David Bowie, a sua perda é lamentada e, em jeito de homenagem, faz um cover da música "The Bewlay Brothers", concluindo-a acenando: "goodbye, David, goodbye!". Até agora o publico parecia estar para lá de satisfeito com a performance do artista, reagia entusiasticamente com tudo o que vinha do palco, quer fosse a um solo de violino ou à interação do artista com a plateia: "Are you okay? You seem very conservative, just relax." – risos do público, "Seriously, have fun, do some drugs or something, relax".

O concerto ia avançando com músicas dos Bauhaus, banda da qual Murphy era vocalista, e o público parecia, como pedido, relaxar e a sentir-se mais à vontade para se levantar e curtir o concerto à sua maneira. Depois de muitos aplausos, segue-se um encore e a teatralidade de Murphy, assim como iniciou o concerto, acaba-o também com uma lanterna que traz na mão e, ao compasso da música faz uns efeitos luminosos.

Assim acaba o concerto, entre efusivos aplausos que duram sensivelmente 10 minutos mas que não conseguem trazer Peter Murphy de volta ao palco. Pelo menos por agora…

Fotos: António Teixeira
Texto: Henrique Caria


,