Patrick Wolf @ Teatro Aveirense


O Teatro Aveirense encheu de fãs e curiosos, para receber o músico londrino numa versão intimista. Patrick Wolf chega a Portugal para celebrar os seus 10 anos de vida artística, com um alinhamento em Aveiro repleto de Folk.

À hora prevista, a sala encheu e assim que as luzes baixaram uma projeção de imagens, na tela que estava no fundo palco, prendeu a atenção de todos os presentes. O cantor abriu o espetáculo com "London", acompanhado pelo oboé de Craig White enquanto que Patrick estava no piano. O público respondeu entusiasmado com uma grande salva de palmas e o primeiro "obrigado" foi ouvido, bastante tímido mas que mais tarde acabou por se tornar um hábito no fim de cada tema.

Patrick avança no alinhamento e convida o público a juntar-se a ele enquanto este canta "House", passando depois para "Hard Times" fazendo referência e manifestando a sua opinião sobre a crise económica e social que assola Portugal e demonstrando também o seu apoio.

Depois de alguns temas em frente ao piano, Patrick avança para uma pequena cadeira que se encontrava no centro do palco, prepando-se para o grande momento com a harpa, com o tema "Teignmouth". Mais tarde, Willemwiebe Van Der Molen regressa ao palco com o seu acordeão, acompanhando o músico até ao final do espetáculo.

De seguida, segue-se uma grande dedicatória a uma presença na vida do cantor, um poeta que acompanhou a sua infância e que lhe deu bastante inspiração para o resto da sua vida artística. "Tristan" foi o tema seguinte, ao qual se antecipou um momento de afinação da guitarra longo e complexo, sempre com a garantia que "iria valer a pena a espera".

Antes ainda do final do espetáculo, acaba por acontecer uma espécie de discos pedidos, com alguns pedidos meios envergonhados e com alguma dificuldade por parte do cantor de os ouvir, mas acabou por ouvir-se um pedido para "Penzance" que culminou num forte aplauso no final.

"Magic Position" marcou o final do espetáculo, dedicada ao ano que está agora a iniciar-se e a todos aqueles que acreditam na liberdade de expressão. Os músicos acabam por sair do palco, agradecendo a presença da plateia e parabenizando o tipo de entusiastas que por ali se encontravam. Mas não ficou por aqui, o Teatro Aveirense levantou-se em peso, acompanhando por uma grande salva de palmas e pés a bater no chão que culminaram na volta de Patrick e os seus músicos ao palco para mais uma história e mais um pouco da sua opinião pessoal sobre o estado do mundo com "The City".

Patrick Wolf e companhia despediram-se com bastante simplicidade mas uma grande honra estampada no rosto, recebendo uma grande ovação do público e uma forte necessidade em partilharem todo o gosto que tinham ao ter recebido o artista pela primeira vez assim.

Alinhamento:
London
House
Hard Times
Wind in the Wires
The Libertine
Teignmouth
The sun is often Out
Tristan
Vulture
Paris
Penzance
Magic Position
The City

Fotos: Ana Martelo
Texto: Arminda Esgueirão


,