Misty Fest: Lenine ao vivo na Casa da Música, Porto [fotos + texto]


Misty Fest: Lenine ao vivo na Casa da Música, Porto [fotos + texto]

Conhecido pelos portugueses, o cantor e compositor Lenine apresentou-se mais uma vez no Porto na última terça-feira, dia 10 de novembro, na Casa da Música.

Sem esconder a satisfação do seu regresso a Portugal e principalmente a felicidade de ser plenamente compreendido (algo que, segundo disse, lhe faz falta quando visita países não lusófonos), Lenine faz um "giro" pela Europa para celebrar as suas três décadas de carreira, mostrando desde o início que aquele seria um concerto composto tanto de canções consagradas quanto por melodias mais recentes. Sem nunca abrir mão da poesia das analogias, declarou que "música é que nem filho, e depois de 30 anos fazendo menino a gente acaba tendo uma prole bacana", e assim abriu a apresentação com "Tuaregue" e "Nagô", do álbum Olho de Peixe (1993), seguindo com "Martelo Bigorna" (Labiata, 2008).

O público foi presenteado com a contagiante energia do nordestino de Recife, que vinha acompanhado apenas por duas guitarras, sobre o facto de se apresentar sem sua banda, Lenine afirmou – "Na maioria das vezes vocês conhecem a canção quando está arranjada, mostrar-me assim, quase nu, é mostrar também a versão mais diet". Não faltou interação e até mesmo uma certa cumplicidade, eu diria, algo que ficou evidente em todo momento, mas particularmente em canções como "Rosebud" e "Relampiano".

O animado e delicioso concerto foi de composições de seu último disco, Carbono (2015), como "O Universo na Cabeça do Alfinete" e "Castanho", até sucessos consagrados como "O Último Pôr do Sol", "Jack Soul Brasileiro" e "Leão do Norte", numa perfeita viagem pela linha do tempo da carreira do artista.

Na despedida, a plateia não poupou aplausos e assobios até que Lenine voltasse ao palco, trazendo mais três canções, entre elas estava "Paciência", que havia sido pedida por um fã anteriormente. Num momento singular, após sair pela segunda vez e, pela segunda vez, receber a sonora manifestação de seu público, houve mais um encore, onde "O Silêncio das Estrelas" ficou por ser a música de encerramento deste que foi um dos melhores concertos do Misty Fest 2015.

Fotos: Carina Guilherme
Texto: Camila Câmara


,