Miguel Araújo no Coliseu do Porto [fotos + texto]


Miguel Araújo no Coliseu do Porto [fotos + texto]

Surgiu como "azeitona", mas rapidamente se destacou numa carreira a solo. Miguel Araújo é o cantor mais badalado da nova geração da música portuguesa e esgotou o Coliseu do Porto, na noite fria do dia 29 de novembro.

Por entre lâmpadas e origamis pendurados num palco de aspeto rústico, o compositor e músico cantou "Aqui Jaz José dos Santos" e a "Canção de Salomão". O assobio afinado de "passarinho" abriu a "Recantiga" e a banda, no fundo, acompanhou.

E porque o teleponto mandava falar, Miguel Araújo decidiu embevecer o público ao dizer que já há muito tempo que não ficava nervoso antes de entrar em palco, no entanto, nessa noite tinha ficado. Afinal de contas, era do Coliseu do Porto que se tratava.

Seguiu-se o single do momento, "Dona Laura", com a flauta transversal a acompanhar, e "Cartório", uma balada doce que deixou muitos a suspirarem. No topo do palco podia-se ver a cábula das letras das músicas, não fosse a memória falhar, tal era a emoção.

Entra o saxofone e o trompete, saem os violinos, violoncelo e instrumentos de sopro. Cada cantiga requer uma necessidade musical diferente e a variedade de combinações instrumentais não passou despercebida a ninguém.

Nem as combinações instrumentais, nem as palmas ritmadas, que os músicos pediam e os presentes acediam. Saía, assim, "Contamina-me", canção do seu mais recente álbum de originais, Crónicas da Cidade Grande.

Inês Viterbo juntou-se a Miguel Araújo para cantar "Balada Astral", num momento de surpresa para o artista que não contava que as luzes dos telemóveis se acendessem na plateia, um pedido especial do seu grupo de fãs.

Seguiu-se "Romaria das Festas de Santa Eufémia", que começou a uma só voz e continuou a duas, com António Zambujo a surgir com o acender da luz. Todavia, não foi a única, pois "José" foi entoada pelas vozes que enchiam a plateia.

Já de cavaquinho na mão, o músico trouxe à cidade invicta "Fizz Limão", bem conhecido do público e "E Tu Gostavas de Mim", uma música muito ao estilo folclórico, que contou com a voz, graça e presença da fadista Ana Moura.

"O Pica do Sete" invadiu o coliseu na voz de António Zambujo e a única música da noite em língua estrangeira surgiu nos ritmos da banda com que Miguel Araújo deu os primeiros passos no mundo da música: a banda dos tios, convidados surpresa da noite.

"Canção do Ciclo Preparatório" arrebatou o cantor, que se mostrou surpreendido por ver as pessoas cantarolar com tanto afinco esta canção, e dedicou "Capitão Fantástico" aos sobrinhos. Ao som de "Os Maridos das Outras", terminou o concerto de lotação esgotada, que naquela noite fria de 29 de novembro, encerrou com o lançamento de balões, mais uma das surpresas das suas fãs.

Fotos: António Teixeira
Texto: Magda Santos


,