Meo Sudoeste: dia 3 (9/08), com Alesso e Jamie Cullum


Meo Sudoeste: dia 3 (9/08), com Alesso e Jamie Cullum

Alesso encerrou a terceira noite de Meo Sudoeste. 43 mil pessoas, números avançados pela a organização, rumaram à Herdade da Casa Branca.

O angolano Yuri da Cunha abriu as hostilidades no palco Meo, aquecendo o pouco público que naquela altura se encontrava em frente ao palco principal. Numa forma de agradecimento pela proximidade entre Portugal e Angola, o cantor interpretou uma versão de "O Bacalhau Quer Alho", êxito do pimba nacional do pequeno Saúl.

A enérgica Selah Sue era quem se seguia no alinhamento. A cantora foi bem recebida pelos festivaleiros, que ainda não se concentravam em grande número na frente do palco. Sue, com a sua bonita voz rouca, presenteou o público com vários temas que irão constar no seu segundo trabalho de originais.

Jamie Cullum regressava ao nosso país, para atuar num alinhamento que provavelmente não encaixava na perfeição. A arma do britânico é a irreverência, sempre muito comunicativo e simpático com a audiência. Na reta final da sua atuação, Cullum desceu ao fosso para oferecer uma mini-serenata a uma fã, que culminou num beijo do cantor.

Seu Jorge, cliente habitual por terras lusas, subiu a palco para fazer uma incursão pelo seu Músicas Para Churrasco Vol. 1. No seu registo de mestre de cerimónias, o cantor brasileiro aproveitou o momento para presentear a plateia com temas que fazem parte do mais recente álbum, denominado Músicas Para Churrasco Vol.2, editado há três semanas no Brasil e com data de lançamento marcado para outubro, em Portugal. "Burguesinha" e "Amiga da Minha Mulher" foram os momentos mais celebrados do concerto.

E para encerrar o palco Meo, o sueco Alesso. Os festivaleiros assistiram a mais uma sessão de pirotecnia e jatos de fugo, aliados ao componente de vídeo. A sua nova "Tear The Roof Up" abriu o seu set, fazendo uma passagem pelos hits "Under Control" e "Reload".

Fotos: Eduardo Alberto/Oporto Agency


,