MEO Marés Vivas: dia 2 (15/07), com Kodaline, James Bay e Dengaz


MEO Marés Vivas: dia 2 (15/07), com Kodaline, James Bay e Dengaz

O segundo dia do MEO Marés Vivas foi palco para Jimmy P, Dengaz, James Bay, Kodaline e Lost Frequencies. Esgotado há já alguns dias, este dia registou um número bem significativo de festivaleiros para assistirem ao primeiro concerto da tarde mas também trouxe muito calor para quem o aguardava.

Jimmy P foi o primeiro do dia neste Palco MEO. Abriu o concerto com "Warrior", tema escrito com Dengaz, seguindo-se a bem conhecida "On fire" que aqueceu ainda mais o recinto do festival. O artista apresentou-se com muita energia, animou e conversou com o público durante todo o concerto. "Muito obrigado por nos trazerem cá outra vez, muito amor por vocês!" – O concerto seguiu com "Storytellers" e com uma homenagem a todos aqueles que já partiram e que estão "Entre as estrelas". Com Diogo Piçarra em palco, Jimmy P avisou que faria a gravação do vídeo oficial deste tema neste concerto. E assim o fez. Terminou com a bem conhecida "Amigos Coloridos", levando o Cabedelo a cantar bem alto.

Jimmy P

O segundo da tarde foi um estreante a pisar o Palco MEO do Marés Vivas. Dengaz subiu ao palco ao som de "Encontrei" criando logo no início um momento para o público cantar consigo. Seguiram-se os temas "We Made It” e "Super-Homem" e para todas as mulheres bonitas deste festival ouvimos a tão conhecida "Rainha". Em homenagem aos atentados que têm havido ultimamente, o artista cantou a sua "From The Heart" e interpretou o tema "See You Again" de Wiz Khalifa. O espetáculo continuou com uma breve alusão ao tema "Tá Tranquilo, Tá Favorável" seguindo-se da nova "Nada Errado" onde chamou António Zambujo ao palco. O concerto terminou com o público a cantar as bem conhecidas "Tamojuntos", "Tudo muda", e "Dizer que não". Dengaz despediu-se agradecendo o carinho dos festivaleiros.

Dengaz

Das 30 mil pessoas esperadas no segundo dia do festival gaiense, 30 mil e uma estavam à espera de James Bay, que entrou de rompante com "Collide". A bem conhecida "Craving" entusiasmou a multidão, mas foi "If You Ever Want To Be In Love" que fez as delícias do público, que cantou em uníssono. Aos 25 anos de idade, o vencedor do prémio "Melhor Artista Britânico" nos Brit 2016, defendeu dignamente o galardão com um admirável concerto. "Let It Go" do seu álbum de estreia Chaos and the Calm foi sinónimo de magia numa noite quente de verão com vista para o rio Douro.  "Obrigado Porto. You have been amazing", foram as palavras proferidas pelo artista ao fim de mais de uma mão cheia de músicas emotivas. Num concerto praticamente marcado pelo timbre doce e ritmos brandos com gritos de guitarra, "Proud Mary", original de Tina Turner, acordou o bailarino interior dos presentes. James Bay surpreendeu ao retornar ao palco, após uma breve fugida, envergando uma camisola do Futebol Clube do Porto para cantar o seu êxito musical "Hold Back the River".

James Bay

Prontos para começar, que é como quem diz "Ready", Kodaline arrancaram com uma enxurrada de aplausos com um hit do seu segundo álbum de estúdio, Coming Up for Air. Diretamente do seu mais recente álbum, lançado em 2015, o quarteto irlandês não se coibiu de mostrar o espectro de estilos musicais que os caracteriza, tais como o pop punk e rock alternativo. "Autopilot" foi cantado a plenos pulmões, numa arrepiante prestação quer do grupo, quer da multidão, que aos primeiros acordes de cada música, demonstrava efusivamente conhecer a letra do principio ao fim. Como pirilampos que decidiram dar cor à noite abafada desta 13ª edição do MEO Marés Vivas, os telemóveis acenderam-se para uma emocionante e carregada de sentimento "The One". "That’s Why We Love Portugal!”, disse Steve Garrigan, o vocalista de Kodaline, depois das várias demonstrações de carinho e entusiasmo por parte dos festivaleiros. Com ritmos folk a fazer lembrar a Irlanda, entrou "Love Like This", nuns curtos minutos que poderiam ter demorado horas e ninguém se importaria com a extensão. A verdade é que a constante troca de ritmos, tão caraterístico da banda, tornou o concerto num turbilhão de sensações. Para o fim ficou a romântica "Love Will Set You Free", iluminada pelas luzes refletidas no rio, seguida de "Raging", uma música de Kygo.

Kodaline

Foram poucos os desistentes da noite e Lost Frequencies teve direito a recinto cheio, que aguardava o set do conhecido DJ de "Are You With Me". O produtor belga começou de forma branda e gradualmente foi ganhando força e distribuindo animação.

Lost Frequencies

Para quem perdeu os primeiros dias deste festival de peso, hoje é a última oportunidade de vibrar com Rui Veloso, James, Tom Odell e Beth Orton no MEO Marés Vivas, com o primeiro concerto do palco principal a começar às 20h.

Equipa Noite e Música Magazine no MEO Marés Vivas
Fotos: António Teixeira
Textos: Daniela Fonseca e Magda Santos
Edição: Nelson Martins


,