London Grammar no Super Bock Super Rock: os britânicos que salvaram o dia


London Grammar no Super Bock Super Rock: os britânicos que salvaram o dia

O trio britânico, em estreia em Portugal, era mais uma aposta arriscada no meio do cartaz deste dia, embora com mais pontos de contacto que os seus antecessores The Gift. A pop sonhadora entrecortava com momentos de trip hop e eletrónica que nos levavam mais perto do hip-hop dominante dos restantes palcos e headliner do dia.

A voz forte, mas cheia de subtilezas de Hannah Reid fez-se sentir, logo a abrir, com "Hey Now". Se fechássemos os olhos, ouviríamos Florence Welch, dadas as óbvias semelhanças no timbre.

A banda foi saltitando pelas músicas dos seus dois únicos álbuns: If You Wait de 2013 e o recém-lançado Truth is a Beautiful Thing. Do primeiro destacamos "Flickers", a já referida "Hey Now", a balada "Wasting My Young Years", a muito aplaudida "Strong" e "Metal & Dust" que fechou o concerto.

Do álbum deste ano, é impossível não referir "Rooting for You" cantado a capella, a ritmada "Bones of Ribbon" ou o tema-título do álbum Truth is a Beautiful Thing. Por último destacamos a bela versão de "Nightcall" de Kavinsky, da banda sonora de Drive.

A banda não autorizou a captação de imagens.

Equipa Noite e Música Magazine no Super Bock Super Rock
Fotografia: Rui Jorge Oliveira
Textos: Miguel Lopes
Social Feed: Maria Roldão
Edição: Nelson Tiago


,