Keane @ Campo Pequeno


Os britânicos Keane transformaram a arena do Campo Pequeno numa "Strangeland".

Às 21h entram em palco os londrinos Zulu Winter, que começaram a aquecer a noite de outono que envolvia o recinto do Campo Pequeno. Vieram mostrar algumas músicas que compõem o seu álbum "Language". Têm pouco mais de um ano de formação (que se nota em alguma timidez em palco) mas a sua sonorosidade que junta o Indie ao Rock, é eficaz a aquecer a bem lotada plateia que estava presente para receber Tom Chaplin e a sua banda.

Quase meia hora após o início da atuação a banda sai de palco, pedindo ao público que se divirta com os Keane. Era para isso que todos lá estavam e, às 22 horas as estrelas da noite entram em palco em contraluz, iluminados pelo sol de "Strangeland" (nome do último trabalho da banda), ao som de "You Are Young". Tom Chaplin foi recebido por palmas durante toda a música e apelidou a plateia de "amigos portugueses". Muitos dos presentes tinham na ponta da língua cada palavra da simpática "On The Road", mas foi com "Bend And Break" que todos os presentes se juntaram a Tom e protagonizaram o primeiro momento alto da noite, derretendo qualquer gelo que ainda pudesse existir entre os músicos e os espectadores.

Aos primeiros acordes de "Is It Any Wonder?" toda a bancada se pôs de pé para dançar, bater palmas e cantar ao som do single extraído de "Under The Iron Sea".

O alinhamento saltitava de álbum em álbum e foi com "Silenced By The Night" que se viu o público a cantar novamente em uníssono. Para não deixar esfriar o clima seguiu-se o clássico "Everybody´s Changing" que culminou com um enorme aplauso que deixou Chaplin sem palavras.  Por entre vários obrigados o vocalista afirma: "Estou a adorar cada segundo".

"Bad Dream" teve uma das melhores performances da noite e Tom Chaplin mostrou que para além da voz ternurenta e poderosa tem também grande aptidão para o piano.

Após a apresentação do "Disconnected" (segundo single de "Strangeland") Tom pede para toda a gente se levantar, anunciando um grande momento que iria ser vivido na arena; "This Is The Last Time" e "Somewhere Only We Know" foram seguidas por um final apoteótico.

"Bed Shaped" foi aplaudida a cada refrão e os britânicos agradecem e saem de palco.

O público pediu mais e eles voltam com "Sea Fog", "Sovereign Light Café" e "Crystal Ball" recebendo uma ovação efusiva da plateia. Com a saída da banda do palco alguns dos presentes davam por terminado o concerto mas eis que a banda liderada por Tom Chaplin volta para um segundo encore e mete todos a dançar o mediático dueto dos Queen com David Bowie, "Under Pressure". Tom impressionou mais uma vez com os seus dotes vocais.

Muito perto das duas horas de duração, o concerto chega ao fim e todos ficaram a perceber o motivo da banda ter viajado a Portugal pela terceira vez num só ano.

Fotos: David Sineiro
Texto: Bruno Silva


,