José Cid no Coliseu do Porto: o menino prodígio


José Cid no Coliseu do Porto: o menino prodígio

José Cid subiu ao palco do Coliseu do Porto para apresentar o seu mais recente disco de originais Menino Prodígio, acompanhado pela sua Big Band e diversos convidados.

Arrebatador. Assim foi o concerto de José Cid, o artista português que, aos 73 anos continua a dar cartas no mundo da música. Com sala cheia, alegria contagiante e entusiasmo desmedido, só não deu um passinho de dança quem não pôde.

Sem tempo a perder, "Cai Neve em Nova York" esteve no pódio de arranque do espetáculo do cantor, produtor e compositor, seguido de "Vem Viver a Vida, Amor" numa versão completamente diferente do habitual. Cid não conteve o espanto e fez um vídeo do público que ternamente dava asas à expressão vocal. Na verdade, todas as músicas eram motivo de cantoria.

Do seu mais recente álbum, Menino Prodígio, saiu a música homóloga do disco, e "De Mentirosos Está o Cemitério Cheio", duas agradáveis surpresas; duas de muitas ao longo de toda a noite.

Com um sentido de humor vintage, o músico adornou as suas músicas com piadas subtis, passeios pelo palco, filmagens da plateia em êxtase e brincadeiras com os seus músicos, José Cid foi um excelente anfitrião e mostrou que é como o Vinho do Porto: quanto mais velho, melhor.

Numa sátira bem conseguida, frisou que "as belas mulheres do Porto preferem os homens do campo, de barriga saliente, que não lavam os dentes e apenas tomam um banho por semana" – "Os Rapazes do Campo e as Meninas da Cidade", um sucesso de 2012, que encheu o Coliseu de gargalhadas.

Gonçalo Tavares foi o primeiro convidado especial da noite e trouxe dois dos seus sucessos musicais a palco, um dos quais fazendo parte da seleção musical de uma bem conhecida novela portuguesa.

Novas canções levaram a novos desafios e os novos desafios merecem um traje novo, por isso, José Cid voltou a palco com um fato de gala, deu um salto ao fado amador e regressou a mais um dos temas do seu mais recente disco – "O Andar de Marilyn", uma canção dedicada à sua primeira paixão de garoto.

"Coração de Papelão" derreteu os presentes, que cantaram, sonharam e deixaram-se levar pela suavidade das músicas precedentes, mas foi "Favas com Chouriço" que arrebatou a assistência.

A cantora galega Uxia foi a última convidada da noite, acompanhou o artista na parte final do seu espetáculo e em uníssono, ambos tornaram o momento inesquecível.

"Como o Macaco Gosta de Banana" ficou para o fim e assustou as fãs, que já pensavam que o cantor iria deixar passar em branco este êxito de 2008.

Relatar o concerto de José Cid não faz justiça ao espetáculo que foi. Por isso, mais do que ler, é preciso ver. Cá esperamos pelo próximo espetáculo e que seja ainda melhor, se possível.

Fotos: António Teixeira
Texto: Magda Santos


,