GNR ao vivo no Multiusos de Guimarães [fotos + texto]


GNR ao vivo no Multiusos de Guimarães [fotos + texto]

Os GNR estiveram ontem no Pavilhão Multiusos de Guimarães para o primeiro de dois concertos em celebração dos seus 35 anos de carreira. A cidade Berço foi um dos palcos escolhidos para as comemorações da carreira do grupo de rock mais antigo de Portugal.

"GNR é do Caraças!" – Este foi um dos títulos usados pelos jornais portugueses quando, há mais de três décadas, os GNR apareceram para nunca mais sair das nossas rádios. Ontem, foi com esta e outras imagens de recortes de jornais que, com o tema "Bem-vindo ao passado", os GNR subiram ao palco para algumas centenas de pessoas que marcaram presença na celebração dos 35 anos do Grupo Novo Rock.

Durante mais de duas horas puderam-se ouvir todos os grandes êxitos da longa carreira da banda formada no Porto em 1981. O primeiro êxito a ter lugar no alinhamento foi "Video Maria", tema com o qual o público começou a aquecer a voz.

Rui Reininho, vocalista da banda, não se mostrou muito falador mas agradeceu por diversas vezes a presença de todos os que lá estavam e acompanharam a carreira do grupo.

Este era um concerto de surpresas e convidados especiais, e depois dos temas "Efetivamente", "Morte ao Sol" e "Ana Lee", a primeira convidada subiu ao palco para interpretar "Homens Temporariamente Sós". Rita Redshoes mostrou-se muito honrada com o convite e disse ter um significado muito grande estar com os GNR na comemoração de 35 anos de carreira, por estes mesmos serem os anos da sua vida.

"Dançar Sós", tema de Rita Redshoes e GNR, foi um dos momentos mais bonitos da noite onde foi evidente a admiração da cantora pelos veteranos do rock.

A saída da primeira convidada deu lugar à entrada da violinista Lanina Khmelik, durante temas como "Asas", "Voces" e "Valsa dos Detetives", além dos músicos que acompanham a banda, pudemos também ouvir o violino tocado pela artista russa.

O segundo convidado da noite partilha com os GNR o tema "Sangue Oculto" desde 1992. Javier Andreu juntou-se à banda e, juntos, com este mesmo tema, fizeram o público levantar-se para cantar e dançar com eles. Foi evidente a cumplicidade de todos em palco.

Quase de seguida subiu ao palco a terceira convidada da noite. Isabel Silvestre interpretou "Santa Combinha", tema cujo registo é mais antigo que a carreira dos GNR e emocionou quem o ouviu. "A Romaria grande da música Portuguesa" – Rui Reininho.

Como não poderia deixar de ser, foi com Isabel Silvestre em palco que a "Pronúncia do Norte" se fez ouvir. Juntos trouxeram ao concerto o tema de 1992 que até hoje exalta a beleza do nosso Norte.

Com o espetáculo quase no fim, as tão esperadas "Dunas" fizeram-se ouvir e levaram o público mais uma vez a levantar-se, desta vez para a frente do palco para saltar e cantar com a atuação deste tema que nos é tão familiar. Foi neste momento que a audiência cantou os parabéns aos GNR, afinal de contas, trata-se de um aniversário.

O "Inferno" não foi esquecido e, já na reta final, foi um dos hits da banda que mais se fez ouvir pela plateia que permaneceu de pé em frente ao palco.

O concerto terminou com o tema "Mais Vale Nunca" onde ainda houve tempo para os últimos convidados da noite. O Coro Cool Band, formado por pequenos e jovens cantores de Guimarães, subiu ao palco e, juntamente com todos os outros convidados, fecharam a noite de concerto em grande festa.

Guimarães, mesmo sendo conhecida como a cidade berço de Portugal, durante a noite de ontem, foi um palco à altura de 35 anos de vida de um dos maiores grupos de Rock do nosso país.

"Obrigada por terem subido connosco estes 35 degraus" – Os veteranos do Rock Português partem agora para o Sul, onde, no dia 12 deste mês, ocupam o Campo Pequeno para o segundo e último concerto de festejo destes 35 anos de carreira.

Fotos: António Teixeira
Texto: Daniela Fonseca


,