Gabriel o Pensador @ Teatro Tivoli: Uma noite "Sem Crise" de emoções


Gabriel o Pensador atravessou o imenso oceano que nos separa das terras de Vera Cruz, para cantar as suas palavras de crítica, reflexão e esperança, mostrar o seu amor por Portugal e estreitar as relações de amizade que tem criado com os amigos que faz quando por cá passa. O mote desta viagem era "Sem Crise", o último trabalho de originais (editado sete ano após o lançamento de "Cavaleiro Andante"). Este trabalho foi feito sem pressão, conta com várias participações de artistas brasileiros e é exatamente com o tema que dá nome ao álbum que o rapper chegou ao teatro Tivoli BBVA que estava esgotadíssimo com um público cheio de sede deste pensador. "Andei me afastando das raízes, agora tô voltando" afirma o cantor que regressou ao seu hip-hop com bases eletrónicas.

A plateia era jovial e recebeu Gabriel acompanhado de MC Beleza e a sua enérgica banda com um valente aplauso. Sem grandes pausas o brasileiro conta-nos a sua história através das "Linhas Tortas" que teve que ultrapassar nestes vinte anos de carreira. "Boa noite Lisboa! O Tivoli tá bonito hoje" foram as curtas mas sinceras palavras que deram mote para que "O Cachimbo da Paz" flutuasse pelo teatro, junto com a "maresia" de braços do público.

O cantor mostrou-se informado sobre a atual crise financeira em Portugal, afirmando já ter sentido o mesmo no seu país e usou "Nunca Serão" (tema inspirado no filme "Tropa de Elite") para criticar os corruptos, a errada utilização dos impostos, a pouca preocupação com a educação, entre outros temas que Gabriel tão bem conhece.

"Tás a Ver?" foi dedicada aos amigos que o Pensador tem feito ao longo destas viagens a terras lusitanas e fez com que as cadeiras começassem a ficar desocupadas. Logo de seguida veio a segunda homenagem a Marlon Correia (o jovem assassinado na Queima do Porto); "Pra Onde Vai" fez com que todo o público aplaudisse de pé este gesto do músico. Aproveitando a deixa, Gabriel pede para que a plateia se mantenha de pé e é chegado o momento de improvisação onde a estrela da noite partilhou o microfone com o seu MC, DJ e percussionista, abordando a destruição do surf camp de Ribeira d´Ilhas, elogiando o vinho português e o Bairro Alto. Ciro Cruz (baixista) também teve a sua oportunidade de brilhar, mostrando um pouco de um dos seus temas.

O concerto prosseguiu com a animação que Gabriel e a sua banda projetavam para o público que se esqueceu da existência de cadeiras. "Surfista Solitário" é o primeiro single deste último trabalho e iniciou-se com alguns problemas de som (o microfone do cantor não funcionou) mas o público dá inicio à música que rapidamente foi reiniciada e transportou-nos para o Rio de Janeiro deixando toda a gente a surfar no Tivoli. Bem humorado, o cantor chamou o seu manager para lhe dedicar o "Rap do Feio" proporcionando um momento bem divertido que se prolongou para a "2345meia78" quando duas amigas do brasileiro sobem em palco para fazerem as vozes femininas deixando o teatro ao rubro. A música termina com a retirada de todos os músicos do palco, mas rapidamente retornam. Gabriel veste uma camisola da seleção portuguesa (com o número 10) e estende um cachecol na mesa do DJ. "Tou entrando em campo. O jogo não acabou ainda não" são as palavras que deixam todos os presentes prontos para viajar com o "Astronauta".

Uma das grandes influências do rapper é Bob Marley e é chegada a hora da sua homenagem. Rapidamente o teatro entrou na onda de Reggae ao som de "Get Up Stand Up" (adaptado por Gabriel) e "Eu e a Tábua" (com o instrumental de "Could You Be Loved"). Entre estas músicas houve tempo para que o cantor descesse para junto do público, tirasse fotos, percorresse o espaço de uma ponta à outra e voltasse a palco com um MC que teve a oportunidade de mostrar o seu talento.

Terminada a "Festa" (tema onde são citados grandes nomes da MPB) a banda retira-se, as luzes apagam-se, deixando os presentes na expectativa de um possível regresso que se realizou para felicidade de todos.

"Resto do Mundo", "FDP", "Se Liga Aí" são as músicas que antecedem o grande final ao som daquele que será sempre um dos maiores hits do artista e deixando uma pergunta no ar: "Até Quando?".

Gabriel, o Pensador brasileiro preferido dos portugueses mostrou, ao longo de duas horas que não tem papas na língua e que continua a erguer a sua bandeira; de liberdade e esperança, a este Portugal que é cada vez mais seu.

Alinhamento:
Sem Crise
Linhas Tortas
O Cachimbo da Paz
Nunca Serão
Pátria Que Me Pariu/Lavagem Cerebral
Tás a Ver?
Pra Onde Vai
(Improviso)
Palavras Repetidas
Surfista Solitário
Boca com Boca
Tudo Certo
Na Palma da Mão
Rap do Feio
2345meia78
Astronauta
Get Up Stand Up
Eu e a Tábua
Festa
Resto do Mundo
FDP
Se Liga Aí
Até Quando?

Fotos: João Oliveira
Texto: Bruno Silva


,