Enter Shikari @ Hard Club


A mais recente tour dos Enter Shikari, que serve de apresentação a "A Flash Flood of Colour", terceiro longa-duração da banda que foi editado no início do ano passado, teve arranque ontem no Hard Club, no Porto.

A primeira parte esteve a cargo dos canadianos Cancer Bats, que com quatro álbuns editados, são uma das mais respeitadas bandas do movimento punk hardcore, e que durante a sua curta (mas não menos intensa) atuação tiveram tempo para uma cover da famosa "Sabotage" dos Beastie Boys, momento a partir do qual melhoraram a sua prestação, e acabaram por conseguir um concerto consistente, perante uma plateia conhecedora do trabalho dos canadianos, mas ainda à espera do quarteto inglês Enter Shikari.

Os britânicos apresentaram-se pela primeira vez em Portugal enquanto cabeças de cartaz, depois de já nos terem visitado em 2009 enquanto banda de abertura dos também ingleses Prodigy. Esse factor não foi suficientemente aliciante para encher a sala 1 do espaço portuense, onde um público que preenchia meia sala tratou de acarinhar a banda como se de uma multidão se tratasse. O arranque com "System… / …Meltdown" foi cantado em uníssono e foram abertas as hostilidades do moshpit e crowdsurfing, que haveriam de durar até ao final do concerto.

Reconhecidos por uma sonoridade única, que consegue misturar o post-hardcore, o metal e a electrónica, os Enter Shikari editaram o disco de estreia em 2007, "Take to the Skies", e obtiveram um enorme sucesso, chegando mesmo a atingir o 4.º lugar do top britânico. Mas neste concerto foram os temas de "A Flash Flood of Colour" os grandes protagonistas da noite, com destaques para o single orelhudo "Sssnakepit", a excelente "Arguing with thermometers" e uma enorme interpretação da faixa que encerra o álbum "Constelations", a mostrar toda a versatilidade da banda.

Os temas mais antigos não foram esquecidos, e ouviram-se "Sorry, You're Not a Winner", "Return to Energiser" ou "Mothership" (tocada assim que alguém do público a pediu). Os Enter Shikari conseguiram deixar satisfeita uma plateia pequena em número mas enorme em entusiasmo, que acompanhava o grupo a cada música com enorme intensidade, já que a postura da banda em palco é contagiante (de realçar a energia de Rou Reynolds (vocalista) que lhe valeu um embate na guitarra que o deixou a sangrar do nariz). Foi de resto um concerto pleno de interação entre banda e público, havendo vários momentos em que elementos da banda faziam crowdsurfing ou elementos do público "invadiram" o palco para também fazerem parte do espetáculo dos britânicos.

Para terminar, ficou "Zzzonked", que fechou de forma irrepreensível uma atuação plena de entrega e de profissionalismo, de uma banda que não estando no seu topo de fama, soube não esquecer as suas bases, e dar aos fãs mais devotos bons motivos para regressar a casa com um sorriso.

Fotos: Gustavo Machado
Texto: Ana Isabel Soares


,