Djavan ao vivo no Coliseu do Porto [fotos + texto]


Djavan ao vivo no Coliseu do Porto [fotos + texto]

Com novo álbum e sucessos já consagrados, o cantor e compositor brasileiro Djavan apresentou-se no Porto no último domingo para uma sala repleta de admiradores que ansiavam pelo regresso do músico já tão conhecido e querido em Portugal.

"Venho pra cá sempre com uma alegria imensa. Este show é dedicado ao amor não correspondido, mas quem veio aqui buscando celebrar o amor eterno veio ao lugar certo!"

Calorosamente recebido no Coliseu, Djavan trouxe seu novo disco, Vidas Pra Contar, onde fala da relação com sua mãe, que foi quem primeiro terá percebido nele a vocação musical, assim como das suas raízes nordestinas, já que é natural de Maceió, no estado brasileiro do Alagoas.

Aos 67 anos, o brasileiro esbanjava energia e carisma, iniciando o espetáculo com  os temas "Se Não Vira Jazz" e "Miragem", mas foi na terceira música, "Te Devoro", que a relação com a plateia intensificou-se, somando assim inúmeras vozes e palmas ritmadas à melodia. Na sequência instalou-se um clima mais romântico com as músicas "Me Leve", "Outono", "Alívio" e "Não É Um Bolero", abrindo-se durante esta última um grande livro sobre o palco que exibia frases e versos com a caligrafia do cantor, numa representação de como nascem suas composições.

"Quando eu estava compondo este disco senti vontade de trazer o meu nordeste, lugar onde eu nasci, de volta para a minha vida. Quis falar do povo, dos costumes, da religiosidade, da beleza das moças, então compus Vida Nordestina" – com estas palavras, Djavan embalou o ritmo tipicamente nordestino e em seguida presenteou o público com seus grandes sucessos "Açaí", "Pétala" e "Oceano", gerando uma vez mais coro em toda a sala.

"Sempre em entrevistas eu falo da relação com a minha mãe, que é a responsável direta por eu estar aqui, foi ela quem viu em mim o dom de cantar. Quando eu era jovenzinho, uns 7 anos, ela dizia ‘meu filho, você tem uma voz bonitinha, quem sabe um dia você vai ser cantor!’, então para este disco eu quis falar disso e compus Dona do Horizonte."

Apresentando músicas do seu novo trabalho, Djavan chamou o público para junto de si, cumprimentando os fãs que estavam mais a frente com beijos e apertos de mão. Em seguida novamente houve canto e palmas com a canção "Lilás".

Ao despedir-se, Djavan declara "Obrigado! Amei! Adorei, Porto!", levando a plateia a pedir encore efusivamente, o que o fez regressar após alguns minutos com as músicas "Um Amor Puro", "Azul" e encerrou com chave de ouro com o sucesso "Sina".

"Para mim, foi uma noite muito feliz, quero voltar sempre, não me esqueçam! Obrigado!"

O novo álbum Vidas Pra Contar (2015) rendeu a Djavan 4 nomeações para os Grammy Latinos, o que apenas ressalta ainda mais o inegável talento do músico.

Fotos: Carina Guilherme
Texto: Camila Câmara