D.A.M.A ao vivo no Campo Pequeno, em Lisboa [fotos + texto]


D.A.M.A ao vivo no Campo Pequeno, em Lisboa [fotos + texto]

Dois concertos e um esgotado. Foi no Campo Pequeno que os D.A.M.A cantaram para o público que se fez ouvir ainda não tinha a banda pisado o palco. Depois de 30 mil discos vendidos e 20 semanas no top, chegou a altura de pisar o palco do Campo Pequeno.

"Deixa-me Aclarar-te a Mente, Amigo" é a frase que dá significado a esta banda. Francisco Pereira, conhecido por Kasha, Miguel Cristovinho e o Miguel Coimbra são o trio que completa a banda. Em 2007 Kasha e o Miguel Coimbra criaram a banda que viria a tornar-se num êxito musical entre o público mais jovem. Mais tarde, juntou-se a esta dupla Miguel Cristovinho e começaram a fazer música que partilhavam no youtube.

Foi a música "Balada do Desajeitado", que conta com a participação de Salvador Seixas, que os catapultou para o êxito. Esta música que é uma adaptação de Sebastião Antunes, que os D.A.M.A apaixonaram o público, que é em grande parte composto por raparigas.

Uma faixa etária que, hoje, vai dos 7 aos 17, pintou a moldura destes dois dias de concerto no Campo Pequeno, que não foi pequeno para a multidão que abraçou a banda em gritos e apoio.

O concerto de sexta-feira ficaria manchado por uma tragédia exterior à banda, mas ligada a todos. Em Paris, enquanto os D.A.M.A cantavam, morreram 129 pessoas e ficaram feridas 352, vitimas de um atentado feito em vários locais da cidade pelo Estado Islâmico. No sábado, a banda fez questão de homenagear estas pessoas, cobrindo o ecrã das cores da bandeira de Paris e fazendo alguns segundos de silêncio.

"Secrets of Love" foi a música que se seguiu a este silêncio. Mia Rose foi a voz que entrou em palco para se juntar ao trio, sendo muito acarinhada pelas fãs dos D.A.M.A. No final, o romântico beijo do Cristovinho à namorada, que deixa as fãs estarrecidas.

"Agora é tarde", mas "nunca é tarde para dizer que vocês são os melhores do mundo", disse Cristovinho e a banda fez questão de o ir dizendo várias vezes ao longo do concerto. "Obrigada por darem oportunidade a bandas portuguesas como nós e aos artistas convidados de hoje", agradeceu Miguel Coimbra para dar entrada a João Pequeno. Seguiu-lhe João Só, que cantou "Adeus e as melhoras", que escreveu para a banda.

Como o concerto de sábado foi o primeiro que estava agendado e que esgotou, a banda decidiu fazer algo especial neste concerto e trouxe um colega espanhol que conheceu num espetáculo que deram em Espanha. Só naquela tarde é que se tinham juntado para ensaiar e cantar pela primeira vez juntos, mas nada aparentou isso na hora de cantar para o público. Não faltou Player, que entrou e fez o seu rap, a solo.

Mas faltava um convidado, muito especial para a banda e para o público que tem acompanhado a banda. "Não faço questão", feita em parceria com o Gabriel O Pensador, que apareceu em vídeo, parecia ser a última música da banda, mas "Não Dá" e foi a uma só voz que deu. E deu também tempo de vermos pisar o palco Salvador Seixas, com os nervos e sua timidez, para cantar a música com que a banda ganhou êxito "Balado do Desajeitado". A música acabou mas Salvador lançou o desafio à banda de cantarem, a uma só voz, o refrão, já sem música. Desajeitados à parte, os D.A.M.A fizeram daquelas duas noites só deles e daqueles que com eles quiseram partilhar aqueles momentos, que ficaram marcados nas tradicionais selfies que a banda tirou no final dos concertos. Também fica na memória dos fãs que não esquecerão estes concertos e já esperam novas datas de espetáculos cá por Lisboa.

Fotos: Carlos Carvalho
Texto: Bárbara Mota


,