Carminho canta Tom Jobim: uma noite de homenagens na Altice Arena


Carminho canta Tom Jobim: uma noite de homenagens na Altice Arena

Perto do vigésimo terceiro aniversário da morte de Tom Jobim, Carminho apresentou à Altice Arena aquilo que é a sua interpretação das canções de um dos maiores nomes da bossa nova.

Em 2016, ao lado de icónicos artistas como Marisa Monte, Maria Bethânia ou Chico Buarque, a fadista gravou o disco Carminho Canta Tom Jobim que apresentou em Lisboa na noite passada. E porque o dia de ontem foi também feito de más notícias, a fadista dedicou o concerto ao falecido Zé Pedro, guitarrista e membro fundador de uma das mais icónicas bandas portuguesas, Xutos e Pontapés.

Chegada a hora do início do concerto ainda a Altice Arena estava aquém de preenchida. Vinte minutos após a hora programada, e já com a maior sala de Portugal mais composta, embora não esgotada, foi ao som da voz de Tom Jobim que a aguardada Carminho entrou em palco. Do excecional quarteto que a acompanha fazem parte os músicos Jaques Morelenbaum (violoncelo), Paulo Braga (bateria), Paulo Jobim (guitarra) e Daniel Jobim (piano), os últimos filho e neto de Tom Jobim respetivamente.

Os primeiros acordes da noite foram dados com "Sabiá" e "Inútil Passagem", mas foi apenas em "Falando De Amor", tema que interpreta ao lado de Chico Buarque no último álbum, que a cantora de dirigiu ao público e prestou homenagem a Zé Pedro dedicando-lhe toda a prestação da noite passada. A estes três seguiram-se temas como "Retrato A Preto E Branco", "Don't Ever Go Away" ou "Triste", temas que o público recebeu com fortes aplausos.

Esquecido o frio que se fazia sentir, Carminho convidou a palco um grande nome da música no Brasil com quem partilha a terceira faixa do último longa-duração, Marisa Monte. Emprestando a voz e a guitarra, a brasileira harmonizou com Carminho os temas "Estrada Do Sol", "Chuva No Mar", "Vilarejo" (original de Marisa Monte) e "Peixinhos", este último composto pelo conjunto Tribalistas com a participação da portuguesa.

"Wave", uma das maiores canções de Tom Jobim não faltou no alinhamento e a cantora surpreendeu ainda com "Escrevi Teu Nome No Vento", tema que integra o seu álbum Fado lançado em 2009. Merecedora de uma ovação de pé, no encore a fadista e os músicos deixaram de parte os microfones dando espaço para que a voz da cantora ecoasse à capella numa das maiores salas europeias. A verdade é que se fez ouvir, e bem.

Convive com a música brasileira desde pequenina e provou na noite passada que a bossa nova lhe corre nas veias, impressionando o público lisboeta com a reinvenção que fez dos temas de um dos donos deste estilo musical, perpetuando assim o legado de Tom Jobim em Portugal. Carminho, uma das cantoras portuguesas com maior projeção a nível internacional, terminará dia 2 a digressão de apresentação do disco de homenagem, Carminho Canta Tom Jobim, e dia 14 estará no Rio de Janeiro para um concerto na terra natal do cantor.

Fotos: Rui Jorge Oliveira
Texto: Maria Roldão