Blind Zero ao vivo na Casa da Música, no Porto [fotos + texto]


Blind Zero ao vivo na Casa da Música, no Porto [fotos + texto]

A comemorarem 20 anos de lançamento do seu primeiro álbum e 22 de carreira, os Blind Zero mostraram ser como um bom vintage, que não envelhece, amadurece e surpreende quem os ouve.

Por entre tantos que tentavam escapulir-se até à emoção da linha da frente, "Into the Mystic" foi o primeiro tema que se fez ouvir no espetáculo que visava relembrar e celebrar o lançamento de Trigger.

Ávidos como há 20 anos, ou talvez ainda mais, Blind Zero encheram o palco de entusiasmo e energia com êxitos como "Big Brother", "Nowhere" e "No Soul", numa avassaladora viagem às memórias e sentimentos de tempos antigos, mas tão vivos atualmente.

A "jogar em casa, perto da sala de ensaios onde fizeram o primeiro álbum", e com convidados especiais à mistura, como Mário Benvindo e Marco Nunes, os êxitos que deram o galardão de Disco de Ouro ao álbum, em 1995, desfilaram num alinhamento perfeito.

"Recognize" foi o resultado dos primeiros acordes feitos na sala de ensaios dos seus primórdios e das primeiras que passou na rádio, continuando a ser um marco na carreira do grupo e uma marca na vida dos fãs, completamente merecedora dos aplausos efusivos que recebeu. Seguiram-se os hits "Keeping in Wonder", "Amen", a (quase) balada da noite e "Water".

Com direito a canção de parabéns, a banda constituída por Miguel Guedes, Nuxo Espinheira, Pedro Guedes, Vasco Espinheira e Mário Benvindo ainda teve tempo para cantar algumas das suas músicas mais conhecidas (por quem os desconhece), tal como "Snow Girl" e "Slow Time Love".

Com um público mais graúdo como entusiasta, aquela que é a casa de espetáculos da cidade do Porto parecia não ser suficiente para conter a comemoração das duas décadas de rock contagiante.

O concerto que "fecha um capítulo" na vida dos Blind Zero terminou com "Keep on Rockin’in the Free World", num estrondoso momento musical, que mostrou que o grupo ainda está em jogo e tem muito para mostrar.

Fotos: António Teixeira
Texto: Magda Santos


,